Quase um mês após bater recorde, o Paraná teve queda de 71,3% na média móvel de casos de Covid-19, segundo o Farol Covid, plataforma independente que calcula índices da pandemia em todo Brasil. Mas apesar da tendência de estabilidade, o estado segue com transmissão alta, o que pode levar à volta de medidas restritivas se os casos continuarem subindo. Tanto que, apesar da redução, nesta quinta-feira (8) o Paraná retornou ao alerta vermelho do Farol Covid, de transmissão altíssima.

A média móvel dos últimos sete dias nesta quinta-feira (8) é de 28,81 casos por 100 mil habitantes. No dia 10 de março, o Paraná enfrentava o pior momento da pandemia, quando a média móvel bateu em 100,53 infecções por 100 mil habitantes.

LEIA TAMBÉM:

>> “É enfrentamento de guerra”, diz Ratinho Jr sobre municípios seguirem com vacinação ininterrupta

>> Mais de 100 denúncias de baladas clandestinas chegam à Secretaria de Justiça em duas semanas

>> Papelaria Itiban quase fecha as portas em Curitiba, mas resiste à crise após apelo nas redes

Ao longo de toda aquela semana de março, o estado ficou com a média móvel disparadamente mais alta de todo o Brasil. No dia 10, a média no Paraná era 30% acima do estado segundo colocado, o Rio Grande do Sul, que tinha 70,45 infectados por 100 mil habitantes. Agora, o Paraná é o 18.° estado no ranking de transmissão. O líder é o Mato Grosso, com 52,70 casos por 100 mil habitantes – quase 83% a mais do que o Paraná.

Apesar da redução, o índice vem subindo. Tanto que nesta quinta o Paraná retornou para o nível vermelho do Farol Covid, de alerta altíssimo. Até quarta-feira (7), o Paraná era o único estado fora do alerta vermelho, quando estava no estágio laranja, de transmissão alta, com média móvel de 27,03 casos por 100 mil habitantes.

Além disso, outro indicador de transmissão preocupa. De acordo com o Farol Covid, a taxa R, que mede a reprodução do coronavírus, está em 0,97 – ou seja, um grupo de 100 pessoas infectadas por transmitir a doença para outras 97. O ideal é que a taxa R fique abaixo de 1, quando 100 pessoas podem transmitir a Covid-19 para outras 100.­­­­­­­

Se a média móvel de casos caiu, a de mortes aumentou. No dia 10 de março, era 1,35 morte por 100 mil habitantes no estado. Nesta quinta, o índice subiu para 1,75 morte por 100 mil habitantes.

Curitiba e RMC

Se o Paraná como um todo está no alerta vermelho do Farol Covid, a 2ª Regional de Saúde, que abrange Curitiba e região metropolitana, está na fase laranja, de alerta alto. A média móvel na regional é de 23,58 infectados por 100 mil habitantes.

Das 12 cidades da grande Curitiba que adotaram o lockdown por 23 dias até segunda-feira (5), incluindo a capital, quatro estão fora do alerta vermelh0. Curitiba, São José dos Pinhais, Campo Magro e Campina Grande do Sul estão na fase laranja, com contágio alto.

Em Curitiba, a média móvel está nesta quinta em 15,69 casos por 100 mil habitantes, mantendo a cidade com tendência de estabilidade. São José dos Pinhais, a sexta maior cidade do Paraná, está com a média móvel de 19,52 casos por 100 mil habitantes, também com tendência de estabilidade.