Os médicos residentes do Hospital de Clínicas anunciaram que a partir de quinta-feira vão paralisar os atendimentos. A greve é em protesto ao não cumprimento do acordo feito no mês passado para retomada das atividades na Unidade de Oftalmologia no Centro Cirúrgico Ambulatorial.

Os futuros especialistas e residentes precisam realizar 50 procedimentos por ano para conseguir a qualidade profissional e, sem o ambulatório cirúrgico, este número não poderá ser atingido. Segundo o Sindicato dos Médicos do Estado do Paraná (Simepar), teve residente que fez sete procedimentos em 2012.

Ano passado, os residentes já tinham ameaçado entrar em greve, mas suspenderam a iniciativa depois de chegar a acordo com a diretoria do hospital, que prometeu solucionar o caso até o dia 15 deste mês. “Esta negociação vem há bastante tempo e foi prometido que aumentariam o número de cirurgias e não foi feito. Os médicos residentes querem entrar em greve por mais trabalho, porque tem pessoas na fila piorando gradativamente por falta de cirurgia”, explica Claudia Paola Carrasco Aguilar, diretora do Simepar.

O hospital já tem novo centro cirúrgico oftalmológico, mas não consegue colocar em funcionamento por não ter funcionários. “A direção nos passou que tem déficit de 700 funcionários. E como é federal, precisa de concurso e não há nenhum aberto. A greve é para que se encontre solução emergencial para estas contratações”, acrescenta Cláudia.

Atendimento

A direção do Hospital de Clínicas informou que não foi comunicada oficialmente da paralisação, mas ainda que ocorra, salienta que o atendimento aos pacientes não será prejudicado. A justificativa é que a greve será apenas dos residentes e, por isso, as pessoas com cirurgias e consultas agendadas devem comparecer nos horários marcados para serem atendidas pelos médicos.