Foto: Daniel Derevecki

Modelo foi apresentado na capital.

A partir de maio, os Conselhos Regionais de Medicina de todo o País vão alterar o modelo das carteiras profissionais dos médicos.

O novo documento será emitido pela Casa da Moeda do Brasil, por meio de um convênio com o Conselho Federal de Medicina (CFM). No entanto, para que as novas carteiras sejam feitas, cada regional precisa fazer um recadastramento de todos os médicos.

Joaquim Paulo Monteiro, chefe do departamento de comercialização da Casa da Moeda, explica que a produção das carteiras vai depender justamente do cadastramento de cada estado. As informações serão enviadas para Brasília, junto com os dados biométricos (fotografia) e biográficos dos médicos. Os estados mais adiantados devem começar a receber as carteiras em maio. As assinaturas digitais dos presidentes dos Conselhos Regionais de Medicina já foram colhidas na semana passada, em um evento da categoria em Curitiba.

A nova carteira profissional do médico será muito parecida com a atual Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Haverá diversos itens de segurança, contra falsificações. ?Mais do que a carteira, este projeto vai unificar as informações de todos os Conselhos Regionais de Medicina em um único banco de dados. A nova carteira será a ponta do iceberg?, explica Monteiro.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná já está se mobilizando para definir as regras para o recadastramento de 17 mil médicos que atuam em todo o Estado. Ainda não dá data definida para o início do recadastramento propriamente dito.