Começam hoje as apostas para a Mega da Virada, com premiação de R$ 180 milhões. O vencedor, se for apostador único e com a premiação mínima, teria um rendimento diáro de R$ 26 mil, isso deixando seu dinheiro na poupança, um dos investimentos de menor rendimento do mercado, porém mais seguro. Mas a expectativa é que o prêmio ultrapasse os R$ 200 milhões, até mesmo pela legalização dos bolões, que foram reconhecidos em outubro.

O reconhecimento da participação em grupo deve aumentar o número de apostas, mas é preciso ter alguns cuidados. Os bolões promovidos pelas lotéricas têm uma taxa de serviços que pode chegar a 35% do valor da aposta

“Você pode juntar amigos e ir com as apostas até uma casa lotérica e pedir para que seja feito um bolão ou comprar pronto na lotérica, mas aí paga tarifa adicional, se fizer sua própria aposta não tem custo”, explica o gerente regional da Caixa Econômica Federal, André Bau.

André defende a utilização dos bolões por aumentar as chances do apostador. A probabilidade com bilhete único é de uma chance em 53 milhões, mas que aumentam radicalmente se a aposta tiver entre sete e dez números e em maior quantidade de bilhetes.

“É momento para se reunir nas empresas, em grupos porque amplia a possibilidade de obter resultados melhores e sem riscos agora. Se você fizer apostas com sete, oito e até dez números esta probabilidade vai aumentando radicalmente”, diz André.

Segundo o gerente regional, desde que a modalidade foi adotada, a Mega-Sena passou a acumular menos, o que reflete na prática o aumento de chances com apostas maiores. “A Mega-Sena acumula uma, duas vezes, chega na casa dos R$ 30 milhões e sai. A última mesmo saiu para um grupo de sete pessoas”, contou.

Além dos bolões, os apostadores de Curitiba têm motivos extras para arriscar palpites na Mega da Virada. Só entre junho e agosto foram distribuídos R$ 70 milhões a apostadores da cidade, que é a quarta maior pagadora de prêmio da Mega.