No início deste mês um menino de 12 anos morreu em Curitiba, vítima de meningite meningocócica. Este ano 24 pessoas tiveram a doença e o garoto foi a segunda vítima fatal.

Segundo a diretora do centro de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Karin Luhm, não existe surto, mas a população deve estar atenta às medidas de prevenção e aos sintomas da doença.

A meningite é uma inflamação das meninges, que são membranas que recobrem o cérebro. Pode ser causada por vírus ou bactérias. As doenças provocadas por vírus costumam ser mais brandas e evoluem de forma benigna. Já as que são causadas por bactérias são mais letais.

Em 2008 já foram registrados em Curitiba 387 casos de meningite, sendo 257 virais e 130 por bactérias. Os dois tipos resultaram em 38 óbitos. Entre as bactérias, a que preocupa mais é a que causa a meningite meningocócica. A patologia tem potencial para provocar surtos, acometendo várias pessoas.

Mas de acordo com Karin, a secretaria faz o acompanhamento dos casos e a situação está sob controle. No caso do garoto que morreu este mês, os familiares e amigos que tinham uma convivência intensa com o menino foram medicados.

O médico infectopediatra do Hospital Pequeno Príncipe, Victor Horácio de Souza Costa Júnior, diz que o caso do garoto foi uma fatalidade. Os pais procuraram atendimento rápido, mas a bactéria era muito agressiva e o menino não respondeu ao tratamento. Segundo ele, em casos bem graves o paciente pode morrer em apenas seis horas.

O médico aconselha os pais a ficarem atentos aos sintomas da doença (febre alta, dor de cabeça, vômito, rigidez na nuca) e procurar ajuda médica para iniciar rapidamente o tratamento ou descartar a suspeita da doença.

Ele diz que com alguns cuidados, as chances de manter a doença longe são grandes. Tanto a meningite viral quanto a bacteriana são transmitidas pelo ar, por isto, os ambientes devem ser sempre ventilados. A recomendação vale para a sala de aula, casa e ônibus. Além da ventilação, é importante abrir as janelas de casa para entrar a luz do Sol.

Alguns cuidados, como lavar sempre as mãos, ajudam. Segundo o médico, existe vacina para alguns tipos de meningite meningocócica, mas elas não estão disponíveis na rede pública. Com exceção de uma que combate outro tipo de bactéria e já está incluída na rotina de vacinação das crianças.