Lucimar do Carmo / O Estado do Paraná
Samuel Eberle, da Luz e Vida: 800 produtos,
abrangência nacional e exportações.

Em meio a um período de crise e desvalorização do poder de compra da população, há um segmento do comércio que não desanimou: as lojas de artigos religiosos. Esse tipo de estabelecimento está ganhando cada vez mais consumidores em virtude da expansão das crenças e da necessidade das pessoas em buscarem apoio espiritual para resolver seus problemas. A variedade de produtos é imensa, como livros, CDs e até mesmo desenho animado em DVD. Estima-se que o setor movimente R$ 3 bilhões por ano.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a proporção de pessoas que se declaram católicas caiu de 83,8%, em 1991, para 73,8% em 2000. Os evangélicos atualmente são 15,4% da população, representando 26,5 milhões de pessoas (em 2000), contra 9% em 1991. Se o evangélico continuar crescendo dessa maneira, existe a expectativa de que, daqui a 10 anos, somarem 50 milhões de fiéis.

Para o superintendente da Editora Luz e Vida, especializada em artigos religiosos, Samuel Eberle, o mercado está crescendo na mesma proporção das igrejas. “No caso dos evangélicos, eles têm a obrigação de evangelizar, ou seja, levar a palavra de Deus para outras pessoas, o que expande ainda mais a religião. Há também aqueles que compram produtos para tentarem um conforto espiritual, mas acredito que o aumento no número de igrejas seja o fator preponderante para o crescimento no número de lojas, afirma. E esse fenômeno não é só evangélico. Há também um crescimento nas lojas católicas, pois a religião está em um momento de renovação e recuperação de seus seguidores.”

Eberle explica que a editora produz 800 produtos diferentes, como material escolar, livros, CDs, cartões de felicitações e desenhos animados. “O carro-chefe da Luz e Vida é o personagem Smilingüido, uma formiga cheia de amigos que mora na floresta. A turma preserva o meio ambiente, valoriza a amizade, o companheirismo, a compreensão e o perdão. A maior missão do personagem é comunicar o amor de Deus. Nós procuramos falar de Deus numa forma colorida e diferente, mas sem agredir a religiosidade de ninguém. A orientação da editora é ter produtos para todas as pessoas, comenta.

Em contrapartida às novas lojas de artigos religiosos, a editora está consolidada no mercado há 50 anos. Tem representantes em todos os estados brasileiros e quatro livrarias próprias em Curitiba, Porto Alegre, Recife e Belo Horizonte. A Luz e Vida também exporta publicações em inglês e espanhol para Estados Unidos, Japão, Chile, México e Canadá, entre outros.

Comportamento

O coordenador dos cursos da área de teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Mário Antônio Betiato, conta que o aumento da busca por Deus é um processo por qual toda a humanidade está passando: “No mundo pós-moderno, o ser humano está se voltando para a fé em um processo em curso inclusive fora da igreja. Ele é perceptível, por exemplo, nos adesivos de carros nas ruas. Todas as religiões estão crescendo, até mesmo as esotéricas. É uma mudança comportamental”, resume.

Shoppings são novo filão para lojas religiosas

A empresária Ana Carolina Vardanega Schasko abriu a loja Sopro dos Anjos, que vende somente artigos católicos, no Shopping Cidade, há um ano. As vantagens de um shopping chamaram a atenção dela, cuja família possui há vinte anos uma loja de gesso onde são fabricadas imagens de santos. Ana fez uma pesquisa de estabelecimentos de produtos religiosos em shoppings e encontrou apenas duas em todo o Brasil: “Percebi que existia espaço porque as lojas nesses locais oferecem apenas produtos esotéricos. Na minha loja eu vendo imagens, anjos, adesivos, colares, pulseiras, terços, velas, redomas, quadros, livros e placas”, conta. “Os produtos com mais saída são as imagens de Nossa Senhora Aparecida e do Perpétuo Socorro, além dos medalhões de berço, que protegem a criança.”

Segundo a atendente da loja, Ana Luíza Lourenço, os clientes procuram produtos com o objetivo de alcançar a paz interior. “Por ser em um shopping, as pessoas querem conhecer a loja. Acaba atraindo bastante gente”, revela. E, como em qualquer shopping, o melhor dia para vendas é o sábado.

Presentes

A bancária aposentada Janete Metring é católica e compra produtos religiosos freqüentemente: “Procuro presentear meus amigos dessa forma, com imagens, terços, anjos e livros. O objetivo de quem presenteia, principalmente nessa vida tão conturbada, é ajudar. Uma leitura, por exemplo, pode abrir a cabeça da pessoa e mobilizar o seu espírito para outras coisas”, considera. (JC)