O movimento Go Skate Day reuniu ontem cerca de 30 mil praticantes da modalidade e apaixonados pelo esporte. Reivindicando melhorias em pistas, a criação de novos espaços e de um centro para prática profissional, os skatistas fizeram passeata pelas ruas da região central, se concentrando na praça Nossa Senhora da Salete, Centro Cívico. Segundo os organizadores, em Curitiba, são quase 100 mil praticantes da modalidade, porém, há muitos anos a cidade perdeu o título de capital brasileira do skate. “Queremos que Curitiba volte a ser referência, que seja novamente a capital do skate. Não temos nenhuma pista pública decente. Dá inveja de outros estados que têm estrutura”, comenta Danilo do Rosário, vice-campeão mundial da categoria street.

Esperança

Um dos idealizadores do movimento, o skatista Guilherme Gonçalves, conhecido como Gui Barba, espera que esta seja a última edição do Go Skate Day em que eles precisem fazer reivindicações. “Temos um projeto pronto do skate center, mas não é só isso que queremos. Expandindo a prática, você tem o crescimento da economia ligada ao skate, que também é esporte de inclusão. Tira a criançada da rua levando para boas pistas”, argumenta Gui Barba.

Segundo o presidente da Federação Paranaense de Skate, Adalto Elias Pereira, organizadores se reuniram pouco antes com o prefeito Gustavo Fruet, que nomeou uma comissão para discutir as reivindicações. “Vamos levar a comissão para conhecer algumas pistas referências como em São Bernardo do Campo (SP) e no bairro Madureira, no Rio de Janeiro, para que eles entendam nosso projeto”, explica Adalto.

Ainda ontem, a Secretaria Municipal de Esportes confirmou que vai reerguer a pista da Praça Afonso Botelho, na praça do Atlético. A Prefeitura deve construir ainda oito pistas, além de recuperar as 27 que existem, mas que estão sem condições de uso.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook