Foto: Ciciro Back

Equipamento reduziu crimes.

Cometer crimes no centro de Curitiba sem ser identificado está cada vez mais difícil. Começam a funcionar hoje mais 22 câmeras espalhadas em vários pontos da cidade como praças e avenidas. O sistema foi implantado em 2001 na Rua XV de Novembro, e conseguiu diminuir em 80% o número de ocorrências na via. Espera-se o mesmo efeito nas demais regiões.

Boa parte do centro de Curitiba começa a ser monitorado. A Rua XV tinha 14 câmeras e agora outras 22 começam a operar em outros pontos. Segundo o secretário de Defesa Social da Prefeitura, Itamar dos Santos, foram escolhidos lugares de grande circulação, onde haviam ocorrências como assaltos, arrombamentos de carro e tráfego de drogas. Todo o Largo da Ordem será monitorado, além da Marechal Deodoro, Saldanha Marinho, Praça Tiradentes, Rua Riachelo, entre outros. O Parque Barigüi passará a ser monitorado a partir de abril.

Mas não é só o número de câmeras que vai aumentar. As que foram implantadas em 2001 já estavam obsoletas e o sistema analógico dará lugar ao digital. Segundo Itamar, são diversas as vantagens. As imagens terão mais qualidade e haverá sensor de movimento, que poderá ser ajustado quando as vias estiverem com fluxo pequeno de pessoas.

Além disso, o novo sistema aumenta a capacidade de armazenamento de imagens, que até então ficavam gravadas em fitas VHS. Outra vantagem será a facilidade para encontrar imagens. Com dia e hora aproximados será possível fazer o trabalho rapidamente. Seis pessoas farão o monitoramento. Além de guardas municipais e policiais militares, também atuarão agentes da Diretran e fiscais do urbanismo. Eles estarão de olho no trânsito e em vendedores ambulantes, por exemplo.

Com a mudança de sistema e o aumento do número de câmeras a Prefeitura gastou R$ 2 milhões. Mas até o fim do ano o investimento chegará em R$ 4 milhões. Todas as ruas da cidadania e o Terminal do Guadalupe serão monitorados e o número de aparelhos chegará a 70.

Itamar diz que as câmeras na Rua XV conseguiram reduzir em até 80% o número de ocorrências na via e espera que o mesmo ocorra nas outras regiões.