Moradores do Barreirinha, em Curitiba, estão indignados com a instalação de uma antena de telefonia celular, pertencente à operadora Tim, em um terreno localizado entre as ruas Humberto Lewis, Charles Darwin e Ângelo Cunico. Ontem de manhã, várias pessoas se reuniram em frente à associação de moradores do bairro e realizaram um protesto, pedindo a retirada do equipamento.

Segundo o padre responsável pela Paróquia da Barreirinha, Leocádio Zytkowski, a antena foi colocada no último final de semana, pegando a população de surpresa. A grande preocupação é que ela está instalada ao lado de diversas residências, a cerca de cem metros da igreja e nas proximidades de uma pré-escola.

"A população não concorda com a presença da antena e já organizou um abaixo-assinado pedindo sua retirada. Todos estão com medo que a radiação gerada pelo equipamento possa gerar malefício à saúde de seus familiares", afirma.

O técnico de planejamento José da Rosa, que mora a trinta metros da antena, diz que leu diversos artigos sobre o assunto e acredita que as ondas eletromagnéticas emitidas pela antena possam gerar estresse, exaustão e mesmo câncer em quem tem contato direto e freqüente com elas. "Alguns dizem que as ondas fazem mal, outros dizem que não geram problema algum. Porém, não podemos esperar toda a população ficar doente para descobrir o que é verdade ou não."

Morando ao lado da antena, o carteiro Vivaldo Lima de Melo teme principalmente pela saúde dos dois filhos adolescentes, que têm 15 e 13 anos de idade. "Não vou conseguir mais viver sossegado sabendo que eu e meus familiares estamos praticamente dormindo debaixo de uma antena de celular. Acredito que isto represente um perigo muito grande e temo pela saúde e segurança de minha família."

Explicações

Ao tomar conhecimento do protesto, a Tim, através de sua assessoria de imprensa, informou que possui alvará de instalação da antena fornecido pela Prefeitura de Curitiba, mas que o equipamento ainda não está em funcionamento. A empresa promete conversar com os moradores da região antes de começar a utilizar a antena e diz que segue todos os padrões estabelecidos pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para instalação.

Por sua vez, a Prefeitura diz que a Cosedi (Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis), ligada à Secretaria Municipal de Urbanismo, interditou a obra de instalação, pois não foi concedida licença à Tim. Desta forma, a empresa terá que retirar o equipamento presente no Barreirinha.