O carro parado na Rua João Alencar Guimarães, Campo Comprido, esperando a vez para entrar em um condomínio, foi obstáculo para o motociclista Luis Fernando de Albuquerque, 23 anos, que bateu atrás do veículo e foi atingido por outro, que vinha no sentido oposto, antes de cair no chão.

Eram quase 10h desta sexta-feira (31), quando o acidente aconteceu. Luis sofreu fratura na perna direita e escoriações nos braços, que o fizeram perder bastante sangue. Um policial militar do 22.º Batalhão, que passava pelo local, parou o carro e depois de sinalizar o acidente, prestou os primeiro socorros.

A ambulância com o médico chegou alguns minutos depois e o rapaz foi estabilizado na maca antes de seguir para o hospital, fora de risco. De acordo com a mãe, Luis mora no Santa Quitéria e estava trabalhando no momento do acidente.

O motorista do Fiesta, atingido na traseira pela motocicleta, disse que o carro estava parado há alguns instantes quando houve a batida. “Parei como sempre paro, esperando o espaço entre um carro e outro na pista contrária para virar e entrar na garagem. Então senti o impacto”, descreveu Thomas Souza.

Velocidade

Marcelo Vrechi, motorista do Honda Civic que atingiu Luis antes da queda, disse que o motoboy vinha em alta velocidade e não teve tempo de desviar do Fiesta parado. “Sempre que passo por essa rua, eu vejo acidente. Essa lombada eletrônica em frente os condomínios já não tem mais efeito”, argumentou.

Moradores confirmaram a grande incidência de acidentes, geralmente causados pela alta velocidade. “Quem precisa entrar nos condomínios ou fazer a conversão na Rua Frederico Muller sempre tem dificuldade. O fluxo de carros não para. Eles diminuem a velocidade só para passar na lombada. Precisamos de outra solução”, disse a dona de casa Iara do Rocio.

Agentes da Secretaria de Trânsito (Setran) e policiais militares organizaram ao tráfego da rua, que ficou em meia pista até por volta das 11h.