Lucimar do Carmo / GPP

Do debate, realizado ontem, participaram profissionais da educação e representantes da Secretaria
de Estado da Educação.

Preocupados com a proposta de alterações no Ensino de Educação de Jovens e Adultos (EJA) na rede pública, apresentada pela Secretaria de Estado da Educação, integrantes da APP-Sindicato solicitaram, junto à Assembléia Legislativa, uma audiência pública para necessários esclarecimentos. Do debate, realizado ontem, participaram profissionais da educação e representantes da secretaria.

As mudanças entrarão em vigor, se aprovadas pelo Conselho Estadual de Educação, somente em 2006. Porém, de acordo com a diretoria da APP-Sindicato, a secretaria já solicitou, junto às escolas, a proibição de abertura de novas turmas para a 1.ª etapa do ensino fundamental, equivalente à 5.ª série, e 1.ª etapa do ensino médio, o 1.º ano. ?Não queremos o fechamento das matrículas. Ainda temos uma demanda muito grande na sociedade?, afirma a diretora da APP, Marlei Fernandes de Carvalho.

O presidente do sindicato, José Rodrigues Lemos, vai além nas preocupações. ?A secretaria quer mudar a forma do EJA e deixa o aluno sem escola e o professor sem aula?, afirma. Ele ainda alerta que, se não forem efetuadas as matrículas do segundo semestre, a demanda do próximo ano será ainda maior e virá, então, o problema de falta de salas de aula. ?Queremos que se mantenham as matrículas e vamos debater a proposta nova, que ninguém conhece ainda. Estamos aconselhando que as escolas continuem a efetuar a matrícula nem que seja manual, porque está autorizada pelo conselho, mas a secretaria está passando por cima de tudo?, afirma.

Segundo a coordenadora do Departamento de Educação de Jovens e Adultos (Deja) do Estado, Maria Aparecida Zanetti, as ofertas do EJA nas escolas permanecem e o que muda são as diretrizes pedagógico-curriculares. Ela confirma que as matrículas serão cessadas gradativamente, mas promete que nenhum aluno deixará de ser atendido. ?Trata-se de uma reorganização da oferta. Os alunos que já efetuaram a matrícula serão atendidos. Encontraremos alternativas para a demanda ser inserida?, explica.