Foto: Aliocha Maurício
No Parque Barigüi, em Curitiba, mais de 2 mil mulheres participaram de diversas atividades físicas.

Ontem, por toda Curitiba, muitas foram as homenagens às mulheres. Elas receberam rosas e muitos cumprimentos, porém, a principal lembrança foi o cuidado com a saúde. Em diversos pontos da capital, profissionais se reuniram para lembrá-las da importância da prática do exercício físico.

?As mulheres precisam viver melhor para continuarem sendo as nossas grandes companheiras?, afirma o cardiologista Mário Maranhão.

O dia para mais de 2,5 mil mulheres começou com uma atividade de incentivo ao esporte no Parque Barigüi. A Prefeitura lançou os 1.º Jogos Femininos de Curitiba e promoveu ginástica, corrida e caminhada. Como explica o médico patologista Sérgio Ioshii, é possível perceber que as mulheres, cada vez mais, estão preocupadas com a saúde e a qualidade de vida. ?Uma maneira de melhorar e manter a saúde é através de coisas simples como estar sempre se movimentando e fazendo exercício físico?, comenta.

Entre as milhares de mulheres que caminhavam, estava Arlete Costa da Silveira, de 76 anos. Ela conta que no Dia das Mulheres ela somente continuou fazendo o que sempre faz: cuidar de si. ?Há dois meses, eu caminho duas vezes por semana e faço outros exercícios. O que digo para todas as mulheres é que façam para se sentir bem, pois se eu soubesse que me faria tão bem, teria começado antes?, comenta.

Assim como dona Arlete, a enfermeira Eunice Cosmo, de 44 anos, também participou da atividade. ?Temos que comemorar o fato de sermos mulheres?, diz. Ela caminha pelo menos três vezes por semana e, como profissional da saúde, indica para as demais.

Coração

No Hospital Santa Cruz, o cardiologista Mário Maranhão alertou: ?em primeiro lugar as mulheres têm que saber que hoje elas estão no grupo de risco das doenças cardiovasculares, o que antes era preocupação apenas dos homens?. Segundo ele, isso acontece porque elas estão tendo, cada vez mais, um estilo de vida inadequado. ?As mulheres cumprem jornadas duplas ou até triplas, fumam mais, usam mais anticoncepcionais, e muitas ainda não se alertaram para a importância dos exercícios físicos?, afirma.

Ele fala de infartos, cada vez mais freqüentes em mulheres mais jovens, e acidentes vasculares cerebrais (AVC). ?A minha dica, nesse Dia das Mulheres, é que elas voltem a adotar hábitos mais saudáveis e procurem controlar o estresse, curtir coisas que elas gostam como relaxamento e meditação. As mulheres, hoje, precisam regredir mas progressivamente para sair do grupo de risco?, sugere o médico.