Após duas semanas de estrada e 2.800 quilômetros rodados, chegou ao fim a aventura da Expedição Filhas do Paraná – que percorreu 40 municípios paranaenses com motocicletas, empunhando a bandeira do Outubro Rosa, de prevenção ao câncer de mama, além do cuidado com o meio ambiente e do mototurismo.

As motociclistas do grupo Filhas do Vento e da Liberdade retornaram neste sábado (30) ao Palácio Iguaçu – mesmo ponto de onde partiram no dia 14 de outubro, e foram recebidas pelo vice-governador Darci Piana e pela primeira-dama do Estado e presidente do Conselho Estadual de Ação Solidária, Luciana Saito Massa.

LEIA TAMBÉM:

>> Tem 50 anos e ainda não pensou na aposentadoria? Calma que ainda dá tempo

>> Curitibana relata desgaste para tratamento de câncer: “processo abala o psicológico”

A viagem teve o apoio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), por meio da Paraná Turismo e do Instituto Água e Terra (IAT); da Paraná Esporte e da E-Paraná Comunicação. 

“Parabenizo as mulheres guerreiras e empoderadas dessa expedição tão importante, que espalhou por nosso Estado muita informação sobre a prevenção do câncer, o autocuidado e a importância de manter em dia os exames preventivos. Foi lindo e gratificante acompanhar essa jornada”, disse a primeira-dama.

O vice-governador Darci Piana relacionou a expedição com a divulgação do Paraná, lembrando que o turismo é uma bandeira muito importante para o governador Ratinho Junior, e que as Filhas do Paraná ajudaram a divulgá-la. “As Filhas do Vento e da Liberdade percorreram as regiões fronteiriças com outros estados e países, numa integração do turismo com a questão da saúde que se mostrou fundamental. Parabéns a essas mulheres que se dedicaram por 15 dias promover o nosso Estado”, disse Piana. 

Oportunidade

As motociclistas que participaram do projeto revelaram satisfação com os resultados, e já pensam em repetir a dose nos próximos anos. “Unimos as mulheres em cada município pelo qual passamos e fizemos o plantio e a distribuição de mudas e sementes de árvores nativas doadas pelo IAT, e também conversamos sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama. Agora já estamos pensando na próxima expedição”, celebrou a presidente da Confraria Filhas do Vento e da Liberdade e uma das idealizadoras do projeto, Telma Crummenauer.

Para as Filhas do Vento, a experiência foi marcante e ajudou a mostrar de perto as belezas do Paraná, além do carinho do povo paranaense.  “É um sentimento de dever cumprido. Ter conhecido meu Estado dessa maneira foi uma experiência que mudou a minha vida”, disse Sulamita Morini. 

“Eu que sou de São Paulo fiquei encantada com as belezas do Paraná. E o acolhimento com que nos receberam em todas as cidades foi fantástico, não há nem palavras para descrever”, ressaltou Silvana Santiago.

Para o presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl, elas cumpriram sua missão: “Esta é a chegada de mulheres maravilhosas e ousadas, que fizeram um roteiro turístico por todo o Paraná plantando árvores e divulgando a luta das mulheres contra o câncer de mama. Vamos fazer o possível para que essa expedição prossiga em nosso calendário”. 

Pantanal

Zuleica não aceita morar na fazenda com os filhos

Além da Ilusão

Davi expulsa Iolanda de casa

Novidades da Netflix

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Estreia da semana

5 curiosidades sobre “O Telefone Preto”