Cerca de quinhentas mulheres que trabalham na agricultura em dezenove municípios da região de Londrina estarão reunidas no 1.º Encontro das Mulheres Rurais, durante o próximo dia 12 no recinto de eventos Horácio Sabino Coimbra, Parque de Exposições Ney Braga, em Londrina. Elas discutirão seu papel na sociedade e direitos de cidadã.

Segundo a gerente regional da Emater, a engenheira agrônoma Marli Alcântara Parra Peres, a mulher rural tem participação ativa na definição e condução das atividades produtivas da agricultura familiar e já conquistou o direito de aposentadoria como trabalhadora rural. “Diariamente desdobra-se cuidando da família, arrumando a residência, participando da lida agrícola e inclusive completando o rendimento familiar”, afirma. “Realiza ainda serviços, como artesã, doméstica, comerciante e profissional industrial. Hoje a mulher rural também está atentando para as questões legais e assumindo compromissos financeiros, devido seu enquadramento no Pronaf, Paraná 12 Meses e demais programas.”

A mulher rural, segundo gerente, tem características determinantes. Vive e depende do espaço rural. Marli lembra da realidade dos 399 municípios paranaenses com 369 mil estabelecimentos rurais onde vivem 1,7 milhão de habitantes, sendo 841 mil mulheres. Números que decrescem a cada ano devido as mudanças provocadas pela incorporação das pequenas e médias propriedades rurais e da expansão das modernas atividades agrícolas e não agrícolas.

A programação do 1.º Encontro das Mulheres Rurais da Região de Londrina, com início previsto para às 8h, contempla temas como a participação da mulher na construção da cidadania, apresentação dos programas dos governos federal e estadual para a mulher rural; saúde da mulher, soja na alimentação e previdência social no meio rural. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas diretamente nas unidades municipais da Emater.