Após mais de dois meses do retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino, que haviam sido interrompidas devido à pandemia de Covid-19, Palotina (Oeste) planeja iniciar no final de maio um teste com ocupação de 100% em salas de aula.

Elceni Nava Bonfim, secretaria municipal de Educação de Palotina, relata que a volta aconteceu em 18 de fevereiro, com as turmas da educação infantil 4 e 5 e todos os anos do ensino fundamental das escolas municipais (primeiro ao quinto anos), em formato híbrido: metade dos estudantes comparece à escola durante uma semana e a outra metade fica em casa, acompanhando as aulas pela internet. Na semana seguinte, os grupos são invertidos.

LEIA TAMBÉM:

>> Paraná libera aulas presenciais sem limite de 30% de capacidade nas escolas; veja regras para igrejas e cirurgias

>> Alfabetização e linguagem das crianças são afetados no lockdown, revela pesquisa

>> Psicóloga orienta pais a ouvirem e validarem queixas dos filhos

Com o decreto com medidas mais restritivas do governo do estado em março, todos os estudantes ficaram no ensino remoto durante uma semana. Quando voltaram, muitos seguiram tendo aulas apenas de casa porque a ocupação em sala foi reduzida de 50% para 30%. Em abril, um decreto municipal restabeleceu os 50%. Segundo a secretária, 112 dos cerca de 2,8 mil alunos das séries que retornaram às aulas presenciais permanecem exclusivamente no ensino remoto por opção dos pais.

Nas escolas municipais, os protocolos de segurança incluem uso de máscara, orientação para lavar as mãos na chegada e depois reforçar higienização com álcool em gel, aferição de temperatura, horários de entrada e saída diferentes por série, recreios escalonados, distância de 1,5 metro entre carteiras e uso de face shields pelos educadores.

A pedido do sindicato, a prefeitura de Palotina divulga semanalmente boletins com números de alunos e educadores que tiveram confirmado diagnóstico de Covid-19 ou suspeita e estão em isolamento. A princípio, esse levantamento era feito diariamente, mas a periodicidade foi alterada devido à redução de casos e mortes no município nas últimas semanas.

Segundo Bonfim, dez crianças e sete educadores tiveram a doença desde o retorno, mas não houve confirmação de contaminação em ambiente escolar. “Nossa situação está parecida com a das escolas particulares de Palotina, o que nos dá conforto para continuarmos com esse planejamento”, justifica.

Para 24 de maio, quando tem início o segundo trimestre letivo, a Secretaria de Educação de Palotina planeja retomar as aulas da educação infantil 2 e 3 também em formato híbrido e fazer um projeto piloto na Escola Municipal Jean Piaget, em que haverá ocupação de 100% nas salas de aula. Ficarão no ensino remoto apenas os estudantes cujos pais optarem pela permanência em casa. “Vamos fazer um teste durante 15 dias e ver como serão os resultados, para avaliar a possibilidade de estender (o aumento da ocupação) para outras escolas”, explica a secretária.

A volta das aulas presenciais do maternal e da educação infantil 1 também está sendo analisada, mas, de acordo com Bonfim, só deverá ocorrer a partir da volta do recesso de meio de ano, em julho. “São crianças pequenas, que precisariam com frequência ficar no colo dos educadores. Por isso, estamos mais cautelosos”, argumenta.