Foto: Aliocha Maurício
Roberto da Silva veio do interior
do Estado para fazer a artroscopia.

Médicos especialistas em cirurgias de joelho encontraram uma maneira para tentar diminuir o tempo de espera para quem precisa fazer esse tipo de procedimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Ontem, o grupo de joelho do Hospital Universitário Cajuru (HUC) realizou o ?Mutirão do Joelho?. Na ocasião, foram realizadas dez cirurgias de artroscopia – como são chamadas as cirurgias que tratam lesões dos joelhos.

?Há uma lista grande de pacientes que esperam por esse procedimento. A nossa iniciativa, que partiu do próprio grupo de joelho do hospital, visa a ajudar?, conta Fabiano Kupczik, ortopedista do grupo de joelho do Hospital Cajuru.

De acordo com ele, o mutirão deve amenizar a fila de espera, uma vez que o número de artroscopias realizadas pelo HUC varia entre 30 e 40 por mês. O médico também ressalta que o número de pacientes que necessitam desse tipo de procedimento é cada vez maior, o que também faz aumentar o tempo de espera.

?Ao contrário do que muitos possam pensar, lesões de menisco não são exclusividade de atletas. O futebol de final de semana tem sido um grande fator para esse tipo de lesão?, comenta.

O paciente Roberto Eugênio da Silva veio da cidade de Bandeirantes, onde reside, no norte do Estado, para se submeter à cirurgia no HUC. ?É bom saber que poderei resolver esse problema, depois de muito tempo na espera?, comemora.

Roberto conta que o acidente que causou a lesão aconteceu há quase 4 anos e, desde então, espera pela intervenção. ?Foi um acidente de trabalho. Um fardo de algodão caiu sobre a minha perna e prensou o meu joelho?, conta.

Essa é a primeira vez que o mutirão acontece. Isso porque envolve toda uma estrutura para a realização dos procedimentos. São pelo menos dez profissionais envolvidos, entre auxiliares, anestesistas e enfermeiros, além dos especialistas.

Os procedimentos cirúrgicos realizados pelo grupo de joelho do HUC utilizam uma técnica reconhecida pela eficácia nos resultados. ?É uma técnica que utiliza uma micro câmera, com a qual é possível visualizar todas as lesões?, conta.

Kupczik ressalta que a grande vantagem dessa técnica é a recuperação rápida do paciente. ?São realizadas duas pequenas incisões e o paciente recebe alta e sai andando no mesmo dia.?

O especialista salienta, no entanto, que os pacientes que acreditam precisar passar por uma artroscopia devem procurar primeiramente as unidades de saúde de seu município. Estas devem fazer o encaminhamento para a cirurgia, caso seja realmente necessário.