Furtos de residências, assaltos à mão armada e furto de veículos. Esses são os crimes com os quais os moradores do Boa Vista, Bacacheri, Santa Cândida e Tingui lidam quase que diariamente. Segundo a vizinhança, o clima entre os moradores é de constante alerta.

 

Luiz Tadeu Seidel Bernardina, que além de coordenar as ações em prol do Rio Bacacheri, também é membro do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do bairro, afirma que nos últimos meses têm ocorrido muitos assaltos nos pontos de ônibus da região. “Pelo que a gente sabe, geralmente eles roubam mulheres e agem em dois, usando moto. Sempre é essa história que a gente escuta dos vizinhos”, afirma.

 

O presidente do Conseg cita que a localização do bairro, ao lado da Linha Verde, facilita a ação e a fuga dos marginais. “Aqui o bandido pode entrar, fazer o que quer e sair rapidinho pela BR-116. Em dez minutos eles estão do outro lado da cidade. Além disso, só nos arredores da Rua da Cidadania do Boa Vista, que é a sede da regional que administra todos esses bairros, roubaram mais de 15 veículos só este ano”, conta.

Um morador do Bacacheri, que preferiu não se identificar, revela que não há policiamento na região. “Se acontece alguma coisa, a polícia só aparece mais de meia hora depois. Desse jeito até desanima chamar o policiamento. Tem gente aqui no bairro que é roubado e nem avisa os policiais, pois sabe que nada vai acontecer”, desabafa.