A nova ponte que vai ligar o Brasil ao Paraguai, entre as cidades de Foz do Iguaçu e Presidente Franco, que será uma alternativa à congestionada Ponte da Amizade, já começa a ganhar forma nas margens do Rio Paraná. A estrada, que será o principal caminho para o trânsito de caminhões, está sendo bancada pela Hidrelétrica Itaipu Binacional.

Ao todo, o projeto, cuja previsão é estar pronto até março de 2022, custará R$ 463 milhões – dos quais R$ 323 milhões exclusivamente na ponte e outros R$ 140 milhões para a via de acesso entre a estrutura e a BR-277.

LEIA MAIS – Com preços acessíveis pra compra, aluguel de patinetes está ameaçado em Curitiba?

Vista como importante para o desenvolvimento da região Oeste e aguardada há pelo menos 30 anos, a ponte recebeu sexta-feira (28) a visita de uma comitiva de autoridades. Além do ministro de Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas, estiveram no canteiro de obras o governador do Paraná Ratinho Junior (PSD) e o diretor brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

O governador Ratinho Junior destacou a expectativa é de que a obra traga grande impacto econômico e social. Esse desenvolvimento compartilhado foi destacado pelo governador por meio de uma analogia. “É como viver em um bairro. Se a sua casa está bem cuidada e a do seu vizinho também, o bem-estar é compartilhado por todos”.

Aeroporto e BR-469

Além de vistoriar as obras da segunda ponte, a comitiva participou da inauguração das obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. A ordem de serviço prevê a conclusão das intervenções para abril de 2021.

Segundo assessoria de Itaipu, a usina será responsável por cerca de 80% do custo da obra no aeroporto. A ampliação em mais 600 m da pista deverá custar R$ 53,9 milhões. “Significa fazer conexão de Foz do Iguaçu direto com a Europa, direto com os Estados Unidos. Foz é o segundo maior destino de interesse de turistas no Brasil, há um interesse muito grande das empresas em operar aqui para Foz do Iguaçu”, falou o ministro Tarcísio Gomes de Freitas.

Outro investimento anunciado pelo ministro da Infraestrutura para Foz do Iguaçu foi a duplicação da BR-469, num trecho que de 8,5 quilômetros entre o trevo da Argentina até o portão do Parque Nacional do Iguaçu. A expectativa é de que até maio deste ano seja liberada a Licença de Instalação do Ibama para a duplicação da rodovia. O lançamento da licitação está previsto para julho e agosto. A ordem de serviço deve ser assinada em setembro, com conclusão prevista até março de 2022.

O investimento será de aproximadamente R$ 135 milhões. Desse total, 70% serão financiados pela Itaipu e 30% pelo governo do Estado, que deverá ficar encarregado da gestão da obra.