A instabilidade nos barrancos ao longo da BR-376 continua causando transtornos aos usuários da rodovia. Na tarde de ontem, houve uma nova queda de barreira no quilômetro 663, na pista sentido sul, no mesmo ponto onde ocorreu um deslizamento na última terça-feira.

No momento do incidente, funcionários da Autopista Litoral Sul, concessionária que atende a rodovia, trabalhavam no local, mas ninguém ficou ferido. A pista, que já estava limpa, dependia apenas de uma aprovação dos engenheiros da empresa para voltar a operar. Com o ocorrido, o prazo para a reabertura volta a ficar indefinido.

De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Fabiano Moreno caíram três mil metros cúbicos de terra na estrada, que ficou completamente encoberta. A nova barreira tem 11 metros de extensão e cinco metros de altura.

Homens da concessionária continuam no local para a retirada dos entulhos do novo deslizamento. A operação conta com 15 máquinas, entre caminhões e retroescavadeiras.

“De terça-feira até hoje (ontem) foram retiradas nove mil toneladas de terra desse ponto da rodovia. Isso é o equivalente a mais de 500 caminhões carregados”, informa o inspetor.

O desvio pelo sentido norte da rodovia para poder trafegar na BR-376 continua. Entretanto, com o excesso de trânsito, a circulação de veículos foi lenta ontem, chegando a criar congestionamento com pico de 15 quilômetros no final da tarde. “Percorrer o desvio foi uma tarefa que exigiu paciência do motorista, pois perdia-se, em média, 1h30 de viagem”, calcula o inspetor.

Apesar do trânsito estar fluindo na BR-376, a PRF avisa aos motoristas que, caso queiram viajar com mais tranqüilidade, busquem rotas alternativas para viajar para o sul do País, como a BR-116 (para chegar a São Bento do Sul, em Santa Catarina) ou a BR-277 e a PR-412, para seguir viagem por Garuva (SC).

Acidente

Um caminhão carregado com piso de cerâmica tombou ontem de manhã no quilômetro 671, da BR-376, no trecho conhecido como Curva da Santa, sentido Paraná-Santa Catarina.

Não houve vítimas, mas o acidente contribuiu para aumentar o transtorno na rodovia, bloqueando parte da pista durante quase todo o dia. A liberação das três faixas de circulação aconteceu somente no final da tarde. O trânsito ficou lento no local, mas, segundo a PRF, não houve congestionamento.