Pela primeira vez em semanas, o Paraná tem menos de 100 escolas ocupadas por secundaristas. Segundo a Secretaria de Estado da Educação (Seed), 55 colégios ainda seguem tomados por estudantes, o equivalente a 2,7% do total de escolas estaduais. Dezenove destas unidades estão na capital. Um levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas, a pedido da Gazeta do Povo, mostra que 69% dos paranaenses desaprovam as ocupações.

De acordo com a pesquisa, outros 28,3% dos entrevistados se manifestaram a favor do movimento, enquanto 2,7% não souberam responder. Cerca de 1,4 mil pessoas foram ouvidas em todo o estado.

Os estudantes das ocupações são contrários à MP 746, que estabelece mudanças no Ensino Médio, e à PEC 55 (antiga PEC241), que estabelece teto de gastos para o governo pelos próximos 20 anos.

No auge da mobilização estudantil, as ocupações, conforme o governo, chegaram a abranger 831 escolas. Desde o dia 24 de outubro, 776 unidades foram desocupadas. As liberações ocorreram por medida judicial ou voluntariamente.

Os números do Ocupa Paraná são diferentes. O movimento trabalha atualmente com 190 ocupações. “Todas essas escolas já tiveram mandado de reintegração de posse e, como o prazo é de 24 horas, é possível que até quarta-feira, esse número seja zerado”, comenta estudante Higor, porta-voz do movimento. Ele prefere não ter o sobrenome divulgado.

De acordo com ele, apesar das ocupações estarem acabando, a mobilização deve continuar. Estão previstos atos em Brasília, a fim de pressionar parlamentares sobre a aprovação da PEC 55, e nas ruas. Uma paralisação também deve ocorrer dia 11 de novembro em escolas, como forma de debater o assunto entre os estudantes.

Universidades

Enquanto as escolas são liberadas, prédios de universidades onde estudantes aderiram ao movimento seguem ocupadas. É o caso dos campus da Universidade Estadual do Oeste (Unioeste) em Marechal Rondon, Toledo e Cascavel; dos campus da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) em União da Vitória, Paranaguá e Campo Mourão; da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) em Guarapuava, Irati e Coronel Vivida; da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Laranjeiras do Sul; da Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Cianorte; da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Curitiba e litoral; e da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).