Motoristas que quiserem descer a Serra do Mar rumo ao litoral de Santa Catarina até o final do ano terão que exercitar a paciência para encarar as dezenas de obras ao longo das BRs-376 e 101. Segundo a concessionária Autopista Litoral Sul, responsável pelo trecho, ao longo dos cerca de 300 quilômetros que separam Curitiba e Florianópolis, são quase 100 pontos de reformas, entre pavimentações, reformas de pontes, execuções de drenagens, terraplanagens, construções de terceiras faixas e instalação de iluminação e dispositivos de segurança.

Entre as intervenções executadas na rodovia, as obras nas pontes são as que mais comprometem o fluxo de veículos, já que exigem o bloqueio parcial de uma das faixas, deixando o tráfego em pista simples em alguns trechos. O afunilamento gera lentidão no trânsito, principalmente nos fins de semana e feriados prolongados. Entre Curitiba e Florianópolis são 10 pontes em processo de alargamento e reforço estruturais.

Temporada

O trecho mais crítico está em Garuva (SC), logo após a descida da serra para quem vai no sentido litoral catarinense. Neste ponto, num trecho de 11 quilômetros, seis pontes estão em obras. “É um horror. Nesse curto trecho é que os engarrafamentos se tornam intermináveis nos fins de semana. Por causa dos bloqueios, a rodovia se afunila e vira o caos”, conta o empresário Carlos Macedo, que transita pela rodovia semanalmente.

O representante comercial Fábio Silva também passa pelo trecho todas as semanas. Ele explica que muitos dos bloqueios são mal sinalizados. “Você está andando em alta velocidade e de repente tem que frear, pois a pista se torna simples. Acho que é isso que provoca engarrafamento. Se começar o afunilamento bem antes, acredito que evite a lentidão”, alerta.

Fábio ainda explica que espera o pior para a temporada de verão e festas de final de ano. “Se nos fins de semana a estrada já para, imagina nas férias. Eu já estou me planejando para sair em horários alternativos para curtir a praia. Acho que vou viajar de madrugada para evitar o caos. Se não, melhor ficar em Curitiba”, diz.

Promessa

A Autopista Litoral Sul informou que todas as obras serão paralisadas a partir da primeira quinzena de dezembro, para evitar grandes engarrafamentos e transtornos aos motoristas. A concessionária garantiu que todas as pistas serão liberadas para tráfego normal e só as obras de extrema necessidade terão continuidade ao longo da temporada de verão.

Pontos bem sinalizados

Ciciro Back
Henrique: pequenos acidentes.

De acordo com o oficial Charles John Henrique, chefe do posto da Polícia Rodoviária Federal Alto da Serra, todos os pontos de obras ao longo da BR-376/BR-101, no trecho entre Curitiba e Florianópolis, estão bem sinalizados.

“Estamos em constante conversação com a concessionária para orientar da melhor maneira os trabalhadores e motoristas, sempre visando a segurança de todos”, afirma o policial. Ainda segundo Henrique, poucos acidentes têm awcontecido devido ao andamento das obras.

Colisões

“Ocorrem apenas pequenas colisões traseiras, mas nenhuma ocorrência de acidentes graves ou grandes engavetamentos”, diz.

Férias

Apesar das dezenas de obras ao longo da principal rodovia que liga Curitiba ao litoral catarinense, os turistas continuam optando pelo estado vizinho para passar as férias. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina (ABIH-SC), mais de 90% dos cômodos dos esta,belecimentos nas praias catarinenses estão reservados para alta temporada. “Fizemos uma pesquisa recentemente e constatamos que quase não há vagas nos hotéis e pousadas do nosso litoral. Já atingimos o mesmo percentual do ano passado e a tendência é aumentar as reservas. Pensamos que haveria pequena queda no movimento por causa das obras, mas felizmente isso não aconteceu”, confirma Samuel Koch, presidente da ABIH-SC.