A comerciante Patrícia Vaz, dona de uma loja de móveis coloniais no bairro Cristo Rei, se prepara para fechar as portas no início do ano que vem. Há pouco mais de dois anos no ponto, que fica na esquina das Rua Guilherme Born e Avenida Nossa Senhora da Penha, a empresária não conseguiu superar os prejuízos causados pelas obras da Linha Verde Norte e da trincheira da Rua Agamenon Magalhães.

A intervenção urbana já dura um ano e meio e, nesse período, o movimento da loja caiu quase 100%. “Nos últimos meses dá pra contar nos dedos de uma mão o número de vendas. Em outubro eu vendi duas peças e em novembro nenhuma”, relata Patrícia.

Por causa das obras, o estabelecimento ficou praticamente isolado. Ao redor do local o que se vê são máquinas, blocos de concreto e entulhos. “Teve um período que nem eu conseguia chegar ao meu próprio negócio. Era obra pra todos os lados, buracos, barro, uma bagunça sem fim. E assim, nenhum cliente conseguia chegar. Lógico que as vendas começaram a cair”, reclama.

Além do baixo movimento, a empresária ainda teve que lidar com problemas de segurança. Há pouco mais de dois meses um homem foi assassinado na porta da loja durante a noite. “Pra ter ideia como minha loja estava isolada, ninguém conseguia chegar aqui: nem eu, nem os clientes e nem a polícia”, conta.

A comerciante comenta que não recebeu suporte nem da prefeitura nem da empresa que executa as obras ao redor da loja. “Na semana passada veio um pessoal da prefeitura falar comigo, mas só me disseram que era pra ter paciência com a situação. Quero saber se as contas que eu recebo também podem ter paciência”, brinca.

Diante da situação, Patrícia resolveu fazer uma queima de estoque neste mês de dezembro antes de fechar as portas do estabelecimento. “Baixei todos os preços, colocando quase tudo a preço de custo, e liguei para os clientes antigos e fiéis para vir comprar. E é assim que vou pagar todas as contas antes de fechar. Não sabemos o que vai ser do ano que vem. Talvez vamos procurar outro ponto, mas o futuro está na mão de Deus”, desabafa.

Conclusão

A previsão da prefeitura para conclusão das obras da Linha Verde Norte e da trincheira da Rua Agamenon Magalhães é março de 2013. Segundo a administração municipal, a obra continua, mas teve o ritmo diminuído por causa das chuvas, que dificultaram a escavação da trincheira e a movimentação de caminhões que levam e trazem materiais.