Algumas obras realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) vêm complicando a vida de quem passa pelo Contorno Sul, em Curitiba. Nas proximidades dos locais onde os trabalhadores realizam suas atividades, como por exemplo serviços de recuperação asfáltica, são percebidas longas filas, principalmente nos inícios de manhã e finais de tarde. Ontem, o problema era visto na altura do quilômetro 594.

“Parece que as obras do Contorno nunca terminam. Sempre tem alguma coisa sendo feita e tumultuando o trânsito. Eu poderia levar dez minutos do trabalho até minha casa, mas geralmente levo trinta em função das obras que constantemente são realizadas nas pistas. Os clientes que atendo também costumam reclamar bastante”, diz o borracheiro João Maria dos Santos, que trabalha em um estabelecimento localizado na via marginal do Contorno.

O caminhoneiro Messias da Silva passa pelo Contorno constantemente, muitas vezes de duas a três vezes ao dia. Ele conta que é difícil não encontrar algum trecho da rodovia em meia pista ou com trânsito lento em função de alguma intervenção. “Todo dia tem obra no Contorno e o asfalto nunca fica bom. Parece que as obras só servem para tumultuar o trânsito”, comenta. “É um estresse passar pelo Contorno. Trabalho com entregas e sempre me atraso em função das filas que encontro no local”.

O também caminhoneiro Wellington Celestino confirma que é preciso ter paciência. “Transporto contêineres entre Curitiba e Paranaguá e, por isso, passo todo dia pelo Contorno. Já cheguei a demorar quase uma hora para percorrer um trecho de cerca de um quilômetro. Sempre tem alguma coisa causando lentidão no trânsito. É preciso bastante paciência para agüentar”, afirma.

Dnit

O Dnit informa, através de sua assessoria de imprensa, que mantém um contrato de conservação e manutenção do Contorno com uma empresa privada. Por isso, eventualmente, pode acontecer de o trânsito ficar em meia pista ou lento em alguns trechos em função da realização de serviços. Estes são feitos “para o bem dos usuários”. Ontem, o trânsito estava lento na altura do quilômetro 594 em função de um trabalho de recuperação de pavimento.

O Dnit comunica ainda que, dentro do período de um mês, deve lançar um edital de licitação para empresas interessadas em realizar um projeto de restauro maior do Contorno Sul. A previsão é de que este deva adequar a rodovia às necessidades tanto dos motoristas quanto dos pedestres que circulam pela região.