Com a proximidade das festas de fim de ano e férias de verão, as oficinas mecânicas começam a se preparar para um volume maior de trabalho. O aquecimento do setor começa a partir da semana que vem, quando os clientes recebem a primeira parcela do 13.º salário. Na média, o movimento chega a ficar 40% maior, se comparado com outras épocas do ano. E para evitar sustos na hora de pagar pelo serviço, os profissionais da área são unânimes em dizer, que a revisão periódica é a melhor saída.

Essa indicação vale não só para a redução dos custos, mas também para prevenir acidentes, diz o diretor do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado do Paraná (Sindirepa), Wilson Bill. Segundo ele, do total de acidentes com vítimas fatais que acontecem no Brasil, 27% tem como causas a má conservação dos veículos. Outro dado preocupante, acrescenta, é que apenas 20% a 30% dos proprietários de carros no País fazem revisão periódica. “Esse comportamento está ligado a queda do poder aquisitivo das pessoas. Muitos optam por colocar combustível para rodar e só vêm na oficina quando o veículo apresenta algum problema”, afirma.

O dono da Automecânica Bibe, Liverson Alcinei Rizzardi também observa essa situação, e diz que o número de pessoas que procuram pela manutenção periódica vem caindo. O principal problema, comenta o mecânico, é que os donos de carros novos pensam que o veículo não precisa de revisão. “Mas isso não é verdade, pois até os carros 0 km podem apresentar problema no funcionamento”, disse.

E para atrair os motoristas, as concessionárias de veículos estão fazendo promoções com preços promocionais em peças e serviços. O gerente de serviços da concessionária Slavieiro, Ademir José Vendramin disse que essa foi uma forma encontrada para fazer com que o cliente venha à loja e deixe o veículo em ordem, “e tenha uma temporada tranqüila, sem se preocupar com o carro”. Com a iniciativa, já observaram um movimento 15% maior na oficina. Os principais problemas, diz o gerente, tem sido suspensão, vazamento de óleo e água, falhas no motor e desgaste irregular dos pneus. “Todos problemas que podem ser evitados com revisão regular”, disse.

Fidelidade

A mudança constante de oficina mecânica e concessionária também pode representar um custo maior na hora de pegar pelos serviços. Wilson Bill diz que o mecânico pode ser comparado ao médico. “Se você faz um check up de saúde todos os anos com o mesmo profissional, ele já tem seu prontuário e sabe tudo sobre você. O mesmo acontece com o mecânico em relação ao carro”, afirma. Liverson Alcinei Rizzardi também diz que é importante o cliente procurar levar o veículo sempre no mesmo mecânico, pois também há vantagens na rapidez do atendimento. “O problema fica mais fácil de resolver quando já trabalhei anteriormente em um veículo e sei quais peças foram trocadas”, falou.

O gerente de vendas Pedro de Paula Freitas afirma que a fidelidade à oficina mecânica é muito importante. “Sempre levo meus carros na mesma oficina, porque lá eles têm um histórico deles”, disse. “Com isso, também posso exigir garantia das peças e serviços.” Freitas comenta que muitas vezes os motoristas acabam trocando de mecânico atraídos pelo preço, mas isso é um engano, pois no fim das contas acabam trocando e pagando duas vezes pelo mesmo serviço.