Médicos residentes e especializandos em oftalmologia do Hospital de Clínicas (HC) da UFPR se reúnem hoje, às 11h, em assembleia, para decidir se paralisam o atendimento ambulatorial. A principal reivindicação é o aumento de cirurgias oftalmológicas por estudante. Para cumprir exigências do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), cada estudante residente precisa realizar no mínimo 50 cirurgias por ano. De acordo com o Sindicato dos Médicos do Paraná (Simepar), atualmente este número está abaixo de 20.

A entidade atribui o baixo número de cirurgias à falta de mão de obra de apoio, como enfermeiros e auxiliares. Os profissionais alegam que já fizeram várias tentativas de negociação nos últimos meses com a gerência do centro cirúrgico, direção geral do HC e Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR). De acordo com o Simepar, não faz sentido manter atendimento ambulatorial se não há condições de completar o atendimento nos casos de cirurgia. O serviço de oftalmologia do HC é referência em atendimentos em todo o Paraná. Pacientes com catarata, por exemplo, que deveriam ser encaminhados para cirurgia, vão tendo perda visual progressiva e irreversível. A cada dia sem cirurgia, estes pacientes podem comprometer seriamente a visão.

A direção do Hospital de Clínicas informou que só se pronunciará sobre o assunto após a assembleia. O sindicato irá buscar uma negociação e emitirá comunicado ao Ministério Público Estadual, conselhos Regional e Federal de Medicina, associações Brasileira e Paranaense de Oftalmologia, entre outras entidades envolvidas.