Reduzir o número de acidentes, mortos e feridos no trânsito brasileiro é o principal objetivo da Política Nacional de Trânsito, transformada em resolução, número 166, do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) no último mês de setembro.

Ontem, em diversas regiões do País, foram promovidos encontros onde representantes de órgãos de trânsito estaduais começaram a estabelecer metas próprias. No Paraná, o encontro aconteceu no auditório do Detran, em Curitiba.

“A Política Nacional de Trânsito é um documento que foi concebido pelo Denatran a partir de consultas públicas realizadas entre maio e setembro deste ano. Ouvimos a população em todo País e as sugestões fornecidas foram incorporadas ao texto”, comentou a coordenadora da área de educação para o trânsito do Denatran, Maria Helena Mata Machado. “Agora, cabe aos estados o cumprimento das metas estabelecidas e a criação de metas próprias”.

As duas principais metas são a informatização de 100% das ocorrências de trânsito até dezembro de 2006 e o estabelecimento de norma legal para reprimir o consumo de bebidas alcoólicas por condutores de veículos até o mês de junho do próximo ano. No que diz respeito à primeira meta, o presidente e o assessor jurídico do Conselho Estadual de Trânsito do Paraná (Cetran-PR), respectivamente, Arthur Lessa Monteiro e Marcelo Araújo, revelaram ontem que as informações estatísticas sobre as ocorrências de trânsito são “desencontradas”. “Hoje, as estatísticas existentes sobre acidentes e mortes são bastante deficientes. Elas acabam desencontradas nos serviços de emergência, na Polícia Rodoviária e nos hospitais”, disseram.