Beto Preto, secretário de saúde do Paraná, alertou que o estado está em sua pior semana desde o início da pandemia de coronavírus. Além disso, o secretário anunciou que a Sesa avalia os resultados do toque de recolher para decidir quais serão os próximos passos no combate ao vírus no estado. Segundo boletim desta quarta-feira, o Paraná tem 82 mil casos ativos de covid-19.

“Momento crítico, talvez estamos na pior semana desde o começo da pandemia, voltamos aos níveis de agosto, julho. Todos os leitos que estavam fechados voltaram a ser ofertados. Vamos colocar mais leitos à disposição, mas não adianta isso apenas”, disse o secretário em entrevista ao Meio Dia Paraná, da RPC desta quinta-feira (10).

Beto Preto pediu para que a população restrinja ao máximo as atitudes que vão contra às recomendações de combate ao vírus. “Não adianta apenas fazer esforço pra abrir um, dois, dez leitos de UTI e enfermaria. As pessoas têm que restringir ao máximo sua mobilidade, diminuir o acesso à aglomeração e, principalmente, tomar medidas cautelares que tomamos à nove meses”, disse.

Mais restrição?

O toque de recolher, que reduziu o movimento de madrugada e, consequentemente, reduziu acidentes e ocorrências violentas que necessitam de leitos, será avaliado dias após sua aplicação, em 2 de dezembro passado. “Temos resultados práticos com relação à redução da violência de trânsito, arma branca, arma de fogo, bebidas alcoólicas. Temos redução efetiva de pessoas circulando nesse horário. Temos feito acompanhamentos diários nesta questão”, disse o secretário.

“Lançamos a restrição de mobilidade de madrugada, eventos, tudo está no nosso decreto. Temos que aguardar alguns dias pra ter dados palpáveis. Talvez até segunda-feira temos condições de avaliar esses dados”, adiantou o secretário.