O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, explicou nesta quinta-feira (5) a curva de aporte desenhada para a nova licitação do pedágio do Paraná. O secretário disse que o governo do estado, que inicialmente sugeria que o aporte começasse a ser exigido a partir de 17% de desconto (o desconto máximo previsto no modelo híbrido anteriormente proposto), cedeu à posição do Ministério da Infraestrutura de cobrar aporte desde o primeiro ponto percentual de desconto.

+Leia mais! Modelo do leilão do pedágio é acertado entre o Paraná e o Governo Federal

“Quem não tem R$ 570 milhões para dar de aporte no leilão, não tem R$ 7 bilhões, que é o investimento médio previsto para cada lote no nosso Anel de Integração. E essas empresas, nós não queremos no nosso leilão”, disse. R$ 570 milhões será o aporte necessário para que uma empresa ofereça os 17% de desconto no novo modelo de concessão.

“Inicialmente, pensamos que o aporte deveria começar só nos 17%, mas concordamos, e o governador Ratinho Junior foi decisivo nisso, em já iniciar o aporte desde o começo. Se confiamos que o melhor modelo é esse, não temos que vincular a índices do modelo anterior. Sem aporte no início, qualquer empresa sem capacidade financeira poderia participar do leilão e oferecer até 16% de desconto. E o governador deixou claro, ‘façam um modelo que afaste os picaretas’ do nosso projeto”, explicou. “Aqui, neste modelo, estamos separando os picaretas de quem vai realmente cumprir o cronograma de obras previsto.”

>>>Continue lendo a matéria na coluna do Roger Pereira, na Gazeta do Povo!

Web Stories

Pega Pega

Treta! Nelito dá um soco em Julio por causa de Cíntia

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Gigante!!

Nova Havan será quatro vezes maior que a loja que será abandonada em Curitiba

Lindas!

Cinco árvores exóticas e raras de Curitiba