O secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, diz estar preocupado com a determinação do Ministério da Saúde para que os estados e municípios não reservem mais a segunda dose da aplicação das vacinas contra covid-19. Na prática, agora, o governo federal quer que os estados apliquem tudo que for recebido em forma de primeira dose. A situação preocupa, pois não há uma frequência regular nas entregas dos imunizantes, o que pode deixar pendente a segunda dose em caso de atrasos.

+Leia mais! Pedreira Paulo Leminski será mais um ponto de vacinação contra o coronavírus

“Vamos seguir exatamente o que foi colocado pelo Plano Nacional de Imunização. E fico muito preocupado com isso por causa das questões de atrasos e tudo mais. Eu gostaria de reservar as doses, mas como não vamos poder reservar temos 369 mil doses para disponibilização aos municípios na primeira dose”, disse o secretário Beto Preto em entrevista ao telejornal Bom Dia Paraná, da RPC, desta segunda-feira (22).

Segundo o secretario, essa determinação permite que mais pessoas sejam vacinadas. “Vamos ter a possibilidade de fazer vacinação em um grupo maior, mais idosos e pessoas acima de 70 anos. Peço para que as prefeituras gastem as vacinas, não deixem nada estocado. Vamos gastar a vacina, pois cada cidadão imunizado é a possibilidade de menos um caso grave que possa vir a utilizada nossos leitos de UTI”, explicou o secretário.