O número de mortes causadas pela gripe A (H1N1), a gripe suína, já é de 45 no Brasil. Ontem, as primeiras três mortes na região de Curitiba foram confirmadas pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Já são quatro mortes no Paraná, cinco no Rio de Janeiro, 16 no Rio Grande do Sul e 20 em São Paulo (veja mapa).

Os três óbitos confirmados em Curitiba são de três homens com idade de 24, 31 e 33 anos, que faleceram nos dias 19, 21 e 22 deste mês. Nenhum tinha uma doença pré-existente.

A confirmação das mortes foi anunciada numa coletiva, pelos secretários de Saúde de Curitiba, Luciano Ducci, e do Estado, Gilberto Martin. No caso da vítima de 33 anos, Luiz Henrique Schefer, a família conta que ele procurou atendimento no Hospital de Clínicas (HC), no posto de saúde do Campo Comprido e no Hospital Santa Cruz. “Ele começou a sentir os sintomas no dia 7 e foi a três lugares, onde lhe deram Tylenol e mandaram ele para casa”, diz o primo Gastão Schefer Neto.

Segundo a secretaria municipal de Saúde, a orientação é, ao apresentar sintomas, procurar a unidade de saúde mais próxima. Lá, com o quadro de gripe, o paciente será orientado a passar pelo período de recuperação domiciliar e, caso seu quadro de saúde piore, voltar ao serviço médico. Ainda segundo a secretaria, a maioria dos casos diagnosticados se recuperou bem após o período orientado.

Em Mogi Guaçu (SP), a vítima fatal da nova gripe foi um homem de 59 anos, que havia sido internado no dia 16 com pneumonia e morreu no domingo. Uma mulher de 57 anos e um homem de 37 morreram no dia 19 em Osasco (SP) e uma mulher de 32 anos em São Carlos (SP) morreu com pneumonia.

No último domingo, o Rio Grande do Sul confirmou cinco novas mortes. Passo Fundo confirmou a morte de duas gestantes, de 25 e de 31 anos. Em Uruguaiana, a vítima foi uma mulher diabética de 63 anos e, em Caxias do Sul, um homem cardíaco de 36 anos. A quinta morte no estado foi um homem de 20 anos em Montenegro.

Exames

Desde ontem, o Laboratório Central do Paraná (Lacen-PR) está fazendo os exames da nova gripe de pacientes do Estado, com capacidade para fazer até 100 exames por dia.

O Paraná já tem 86 casos confirmados de gripe suína. Outros 999 casos suspeitos aguardam confirmação do laboratório da Fiocruz (RJ), que até o fim de semana fazia os exames do Paraná.

Até a próxima segunda-feira, o centro de urgência do Boa Vista, em Curitiba, deve disponibilizar 22 leitos para pacientes da nova gripe que não precisarem de respiradores.

O HC, que desde a última sexta-feira conta com uma ala específica para esses doentes, já atende 11 pacientes da gripe A que são mantidos com respiradores e mais nove que estão isolados.

No último fim de semana, 30% do total da procura por atendimento nos centros de urgência e emergência de Curitiba foram de doenças respiratórias e 8% de suspeita de H1N1.

Sem interrupção das aulas

Luciana Cristo

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Martin, foi taxativo ontem ao afirmar que não é o momento de interromper as aulas, como alguns colégios e faculdades particulares anunciaram nos últimos dias.

“Se houver necessidade de medidas mais drásticas, seremos os primeiros a falar algo a respeito”, disse. Diante do quadro em Curitiba e região, a secretaria municipal de Saúde divulgou ontem recomendações às escolas e creches:

* Rotina diária, na chegada dos alunos, para identificar suspeitos de gripe.

* Todos os alunos, professores e profissionais que apresentem febre alta, tosse ou dor de garganta devem f,icar afastados da escola por sete dias e não deverão ser admitidos alunos em prazo inferior.

* Alunos que desenvolvam sintomas durante as aulas devem ser isolados dos outros alunos, se possível usando máscara descartável.