Foram abertos na segunda-feira (4) os envelopes com as propostas de preços das empresas e consórcios que disputam a concorrência pela conservação das estradas estaduais do Anel de Integração durante o período sem pedágio. A intenção é garantir a manutenção das rodovias entre o encerramento dos atuais contratos de pedágio, previsto para novembro de 2021, e a entrada em vigor das novas concessões, o que só deve ocorrer em meados de 2022. A promessa do governo é que não haverá cobrança de pedágio neste período. O processo de contratação está a cargo do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

LEIA TAMBÉM:

> Pedágio grátis e queda da pandemia vão impulsionar economia das praias do PR

Voos internacionais no Aeroporto Afonso Pena? Saiba se eles vão virar realidade na Grande Curitiba

Uma comissão formada especialmente para julgar e avaliar as propostas deve publicar nos próximos dias o resultado desta primeira fase do processo. Após a divulgação no Diário Oficial e no portal Compras Paraná, as empresas classificadas serão então convocadas para a abertura dos envelopes com os documentos de habilitação.

Ao todo, são cinco os lotes que serão disputados pelas empresas, em um total de pouco mais de 960 quilômetros de extensão. O mais extenso é o lote 2, nos Campos Gerais, com 306 quilômetros de extensão. O menor é o lote 5, que fica na região oeste do Paraná, com apenas 73 quilômetros de rodovias.

Veja quantos participantes disputam cada lote e os valores máximo e mínimo apresentados (contratos de dois anos):

  • Lote 1 (Região Metropolitana de Curitiba e Litoral, 153,75 km de rodovias): sete participantes; valores entre R$ 14.408.329,25 e R$ 23.360.096,66.
  • Lote 2 (Campos Gerais, 306,48 km): seis participantes; valores entre R$ 29.968.363,94 e R$ 42.044.724,49
  • Lote 3 (região Norte, 230,29 km): cinco concorrentes; valores entre R$ 21.200.000,00 e R$ 24.181.029,31.
  • Lote 4 (região Noroeste, 200,99 km): seis empresas; valores entre R$ 19.537.048,20 e R$ 23.861.658,24.
  • Lote 5 (região Oeste, 73,01 km): sete participantes; valores entre R$ 5.177.464,46 e R$ 6.484.305,82.

Quem vencer a licitação deverá prestar serviços de conservação do pavimento, inclusive com a execução de remendos superficiais ou mais profundos quando necessário. A faixa de domínio também deverá receber cuidados de conservação na forma de capina e roçagem da vegetação. Além disso, as empresas ficarão responsáveis também pelos cuidados com a drenagem, limpeza e recomposição das placas e itens de sinalização e demais dispositivos de segurança viária.

O prazo do contrato é de 730 dias (dois anos), com a possibilidade de ser rescindido sem penalidades para as partes conforme as novas concessionárias forem assumindo os trechos. Um levantamento das condições das estradas estaduais concedidas mostrou que 87% delas estão em boas condições de conservação.

Web Stories

Descubra!

Intrigantes e bizarras! Mais cinco histórias curiosas sobre Curitiba

Você sabia?

Cinco curiosidades sobre Curitiba que nem o curitibano raiz sabe!

Novidade!

Loja da Xiaomi em Curitiba: conheça cinco produtos inusitados

Pra curtir!

Novas atrações turísticas de Curitiba! Partiu conhecer?