Deve sair na terça-feira da próxima semana o resultado do exame que comprovará se a morte de Giovana Marcos da Silva, 30 anos, em Campo Mourão, na madrugada de ontem, foi causada por dengue hemorrágica. Giovana estava internada na Santa Casa de Campo Mourão desde 22 de julho e, caso se confirme a causa do falecimento, será o primeiro caso de morte por dengue hemorrágica no Paraná este ano. O último registro de morte por este tipo de dengue no Estado ocorreu em 2003, em Londrina, quando quatro pessoas foram infectadas e, destas, duas morreram.

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde, Giovana veio do Mato Grosso visitar alguns parentes no Paraná. Ela começou a sentir febres e passar mal no dia 15 de julho, ainda na cidade natal – Nova Maringá (MS). Chegando a Campo Mourão, ela foi encaminhada a um posto de saúde porque já veio passando mal no ônibus. Depois disso, Giovana foi encaminhada à Santa Casa, onde faleceu.

As amostras do sangue da paciente foram enviadas para o Laboratório Central do Estado (Lacen) para análise. ?O caso da mulher de Campo Mourão é de dengue, mas com suspeita de ser dengue hemorrágica?, observa o chefe da Divisão de Vigilância em Saúde e Pesquisa da Secretaria de Saúde, Luiz Armando Erthal. A Regional de Saúde está aguardando a confirmação pelo exame de ?isolamento viral?, que é um exame que identifica o vírus causador da dengue. Este exame vai identificar qual dos quatro tipos de dengue Giovana contraiu. ?Qualquer um dos quatro tipos pode evoluir para um caso de dengue hemorrágica?, explica Erthal.

Nos municípios da 11.ª Regional de Saúde, com sede em Campo Mourão, foram registrados apenas oito casos de dengue, sendo três autóctones (contraídos no Estado) e cinco importados. Esses casos ocorreram nos municípios de Ubiratã, Goioerê e Barbosa Ferraz. Nenhum desses casos era de dengue hemorrágica.

?Apesar do estado grave que ela apresentou ao chegar na cidade, não há motivo para alarme. A probabilidade de infecção é baixa, pois o índice de infecção no município é zero?, afirmou. Segundo dados do Centro de Saúde Ambiental da Secretaria Estadual da Saúde, nenhum caso de dengue foi registrado deste o início do ano em Campo Mourão.

A Secretaria da Saúde informa que os números da dengue no Estado estão estacionados. Até o dia três deste mês ocorreram 849 casos, sendo 780 autóctones (contraídos no Estado) e 69 importados. As cidades onde se verificaram mais casos foram Foz do Iguaçu, Paranavaí e Sarandi, com 362, 118 e 110 casos, respectivamente.

A dengue hemorrágica é bem mais grave que a dengue comum, mas a pessoa só adquire a doença quando picada numa segunda vez pelo mosquito Aedes Aegypti. O vírus provoca reações imunológicas capazes de interferir na coagulação sangüínea.