Beto Preto, secretário de saúde do Paraná, foi até Brasília para tentar angariar uma antecipação de vacinação para os professores e funcionários de escola do Paraná. Além disso, o secretário pediu mais doses para imunização de profissionais de saúde. Segundo o governo, o Paraná defende a readequação do calendário nacional para que a imunização dos docentes e servidores aconteça simultaneamente às pessoas com comorbidades. A vacinação destes profissionais de educação é importante, pois o próprio governo prevê o retorno das aulas em maio, retorno que inclusive já ficou condicionado à vacinação dos professores.

“Entendemos que existe viabilidade para uma vacinação em paralelo. O Paraná vem trabalhando com essa possibilidade. Temos seguido o Programa Nacional de Imunização, mas estamos pleiteando essa alteração junto ao Ministério”, disse o secretário. O ofício foi entregue ao secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

+Leia mais! Paraná vai receber mais 309 mil doses fabricadas pelo Butantan e Fiocruz

Beto Preto destacou que a mudança na orientação e a garantia das doses precisam partir do Ministério da Saúde. “Queremos vacinar os professores. Precisamos de vacinas. Vamos enfatizar esta posição do Paraná acerca da cobertura da Educação. Cabe ao Ministério essa revisão”, afirmou.

A adequação, de acordo com o secretário, é viável, seguindo, inclusive, o novo entendimento da antecipação da vacinação das forças de segurança e salvamento pelo próprio Ministério.

“Precisamos de mais doses para que a gente avance rapidamente nos grupos prioritários. O próprio PNI antecipou essa cobertura para as forças de segurança. Da mesma forma, queremos que o governo federal envie doses para que a gente inicie a vacinação dos trabalhadores da educação o mais rápido possível”, frisou Beto Preto.