Um estudante paranaense representará o Brasil na 7.ª edição do Programa Jovens Embaixadores Ambientais. Daniel Isfer Zardo, aluno do 4.º ano de Engenharia Ambiental da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), apresentará o projeto Ecohabitare Sistemas Sustentáveis.

Ele é um dos representantes brasileiros, ao lado de outros três estudantes de São Carlos (SP), Canguçu (RS) e Natal (RN). O programa Jovens Embaixadores Ambientais é realizado pela empresa Bayer, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Daniel entrou em maio deste ano no projeto, que funciona como um centro de pesquisas para o desenvolvimento de tecnologias a partir de resíduos sólidos urbanos e industriais que façam com que a construção civil tenha impacto menor no meio ambiente.

Sediado na PUCPR, o Ecohabitare hoje conta com 20 alunos, sendo interdisciplinar e interinstitucional. “Tudo aconteceu por um acaso. Estava procurando uns e-mails antigos quando vi o do programa Jovens Embaixadores Ambientais para outro ano. Procurei e tinha edição em 2010”, comenta o estudante.

Alemanha

Os quatro projetos brasileiros serão apresentados na Alemanha entre os dias 6 e 12 de novembro, quando acontece o Encontro Internacional de Jovens Embaixadores Ambientais, que reúne os 50 ganhadores de 18 países.

Como o Ecohabitare ficou em primeiro lugar no Brasil, Daniel ainda mostrará o projeto para uma banca julgadora que vai avaliar os melhores trabalhos de todos os países participantes.

O Ecohabitare já produziu 20 mil tijolos ecológicos, com pó de mármore, um resíduo industrial. Estes tijolos estão sendo utilizados em duas obras. A primeira é um abrigo para resíduos no campus São José dos Pinhais da PUCPR.

Parte do material também está na chamada Casa de Conscientização, no campus Curitiba, que funcionará como brinquedoteca e espaço para atividades relacionadas à educação ambiental.

“A Casa de Conscientização também terá telhado verde, hortas verticiais feitas com garrafas pet, reutilização da água da chuva e maior aproveitamento da luz natural”, explica Daniel.