A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) tem realizado sistemáticas ações para impedir o surgimento de casos de dengue em Paranaguá. Agindo na área da prevenção, a equipe, coordenada pelo secretário Gianfrank Tambosseti, visitou nesta última semana 366 imóveis nas regiões do Bockman e Alvorada. Em cada uma das casas foram retiradas duas amostras de larvas para verificar a existência do mosquito Aedes Aegypti, causador da enfermidade que já matou várias pessoas no estado do Rio de Janeiro.  De acordo com o secretário, nas amostras colhidas não foi identificada a presença da larva do mosquito da dengue. Por conclusão, a cidade não registrou nenhum caso da doença. Além das residências, a equipe da Semsa se deslocou para pontos onde havia grande concentração de pneus, vasos e outros objetos que pudessem servir de ?abrigo? para o mosquito procriar suas larvas. Nesses locais, os funcionários fizeram um levantamento das espécies e em seguida tratou o ambiente com larvicidas.

Uma outra ação da secretaria foi no sentido de deixar armadilhas em locais estratégicos como: rodoviária, aeroporto, ferroviária e em terminais de cargas. Nesses pontos, considerados como porta de entrada do mosquito vetor, a Semsa colocou água limpa para atraí-lo e logo eliminá-lo. ?Estamos toda a semana verificando essas armadilhas que foram instaladas em 47 diferentes lugares da cidade. Até agora o aedes não foi encontrado, mas caso ele seja identificado estaremos prontos para eliminá-lo?, disse Tambosseti.

Nos últimos dia 2 e 3 de abril, no Centro Municipal de Especialidades, aconteceu um curso de capacitação para 47 pedagogas de 32 escolas municipais. Nele, as orientadoras foram ensinadas a instruir os alunos da rede municipal de ensino a desenvolver ações preventivas contra a dengue. ?Nunca é demais avisar que água parada é o ambiente propício para o aparecimento do mosquito da dengue. Por isso, todos devem se atentar para esse importante detalhe?, lembrou  o secretário.