Chuniti Kawamura
Cisne Branco abre festejos dos 150 anos
da Capitania dos Portos do Paraná.

A cidade de Paranaguá, no litoral paranaense, está recebendo a visita do veleiro Cisne Branco, pertencente à Marinha do Brasil. A embarcação, que atracou ontem, às 11h10 no Porto de Paranaguá, realizou em sua viagem inaugural a travessia comemorativa aos 500 anos de descobrimento do Brasil. Saiu de Lisboa, em Portugal, no dia 9 de março de 2000, e chegou à Cabrália, na Bahia, um mês e treze dias depois, repetindo o trajeto de Pedro Álvares Cabral em 1500.

O Cisne Branco foi recebido pela Banda da Polícia Militar do Paraná, por funcionários do porto e muitos curiosos. A primeira visita da embarcação a Paranaguá foi em meados de 2000. Desta vez, a presença do veleiro marca o início das comemorações de aniversário da Capitania dos Portos do Paraná. “No próximo dia primeiro de outubro, a Capitania estará completando 150 anos. A visita do Cisne Branco abre as festividades”, conta o capitão dos portos do Paraná, capitão-de-mar-e-guerra Osmar Pedro da Cunha.

Formação

Vindo da cidade de Itajaí, em Santa Catarina, o veleiro trouxe a bordo dez oficiais, 41 praças, oito civis e doze aprendizes de marinheiro da Escola de Aprendizes do Estado de Santa Catarina. “A embarcação, além de participar de regatas e representar o Brasil em diversos países do mundo, também contribui com a formação de novos marinheiros. A bordo, aprendizes podem colocar em prática a teoria que adquirem nas escolas”, conta o capitão-de-mar-e-guerra Bernardo José Pierantoni Gambôa, há um ano e três meses no comando do Cisne Branco.

No tempo que passam no mar, os estudantes aprendem a lidar com cabos e velas, a fazer nós, recebem noções de meteorologia básica, entre outras coisas. “O mais importante é que os futuros marinheiros aprendem a trabalhar em equipe e a respeitar os companheiros. Também começam a entender a força do mar e dos ventos, além da importância do trabalho da Marinha para o País”, diz Gambôa.

Visitação

Hoje e amanhã, das 14h às 18h, o veleiro vai estar aberto à visitação pública gratuita. Ele vai ficar atracado em Paranaguá até o próximo domingo, dia 11, data em que parte para o Rio de Janeiro. Do Paraná, a embarcação vai levar a bordo cinco representantes do grupo Escoteiros do Mar da Ilha do Mel. Eles, que geralmente lidam com pequenas embarcações, vão aprender como é trabalhar em uma embarcação de grande porte. “Os escoteiros paranaenses vão aprender muitas coisas e, na volta, irão poder repassar suas experiências aos demais companheiros. A viagem vai contribuir para fortalecer a mentalidade marítima da equipe”, explica o capitão Osmar.

Construção

O Cisne Branco foi construído na Holanda, por encomenda da Marinha Brasileira. Foi batizado no dia 4 de agosto de 1999 e entregue ao governo brasileiro em 4 de fevereiro de 2000. É um veleiro armado em galera, com três mastros e 31 velas. Tem 76 metros de comprimento total, 10,5 metros de largura e mastro grande de 46,6 metros. Possui capacidade para 83 tripulantes e custou cerca de US$ 14 milhões ao Brasil. “O barco é considerado barato, pois traz uma série de benefícios ao País. Além disso, economiza grande quantidade de óleo combustível e lubrificante”, declara o comandante Gambôa.