O secretário da Justiça do Paraná, Aldo Parzianello, reúne-se hoje, às 10h em Londrina, com o prefeito Nedson Micheletti, para definir a questão do terreno onde será construído o Centro de Detenção Provisória da cidade. “Uma nova opção de local foi oferecida pelo prefeito e a Secretaria da Justiça já enviou dois engenheiros para fazer o levantamento das condições da área”, comunicou Parzianello ao governador em exercício, Orlando Pessutti, na reunião da Operação Mãos Limpas de ontem.

O projeto da nova penitenciária de Londrina está pronto e prevê uma capacidade para quatrocentos presos. “Essas novas vagas vão diminuir sensivelmente o problema da superlotação nas delegacias e unidades prisionais do município”, afirmou Parzianello. O secretário lembrou que a questão do sistema prisional é urgente em todo o País, com um acréscimo de demanda de vagas da ordem de 20% ao ano, e precisa ser enfrentada como prioridade na área de segurança. O investimento estimado para a construção da nova unidade é de R$ 2,5 milhões e a área necessária é de 7 mil metros quadrados, com toda a infra-estrutura necessária, como redes de luz, água, esgoto e telefonia.

O secretário da Justiça também fez um relato ao governador em exercício e aos demais integrantes da Operação Mãos Limpas sobre a tentativa de fuga na Penitenciária Central de Piraquara. Um túnel, escavado por cerca de 30 detentos, que foi descoberto no último fim de semana. “Os funcionários do sistema penitenciário e de nosso serviço de inteligência descobriram a construção do túnel, que vinha sendo cavado há dois meses, com a utilização de brocas. Ele foi fechado com três toneladas de cimento”, relatou Parzianello. Segundo o secretário, já está sendo realizada uma sindicância para apurar como os detentos tiveram acesso ao material utilizado na escavação.