O site da Pastoral da Criança publicou às 12h20 uma nota de pesar pela morte de sua fundadora, a médica Zilda Arns, no terremoto ocorrido ontem no Haiti. Segundo o Ivo Rodrigues, do departamento de comunicação da instituição, sediada em Curitiba, os funcionários e colaboradores estão profundamente chocados com o ocorrido. “Não dá para acreditar. Fomos pegos de surpresa”, lamenta.

Zilda vivia há mais de cinco décadas na capital paranaense, que decretou nesta manhã luto oficial de três dias. A Pastoral foi fundada em 1982 na cidade.

A nota da organização é assinada pela Coordenação Nacional da Pastoral da Criança e além de informar o falecimento relata que ela estava missão humanitária no Haiti, para participar da Conferência dos Religiosos e também para motivar os líderes e voluntários da pastoral no país que trabalham com crianças, gestantes e famílias.

Em nota divulgada à imprensa hoje, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), lamentou a morte da médica Zilda Arns. “Lamento o episódio profundamente. O Brasil perdeu uma de suas mais expressivas figuras. Ela era um exemplo extraordinário de dedicação às crianças, aos pobres e às causas sociais. Era uma referência. Essa não é uma perda só para a família, mas para o Brasil inteiro. Sua morte enluta todo o país”, afirmou.

O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), divulgou, em nota, que Zilda Arns deixa “milhões de órfãos” no Brasil, “não só os integrantes de sua família, mas também os muitos filhos adotados por ela na Pastoral da Criança e na Pastoral do Idoso”.