O reajuste das tarifas do pedágio no Paraná, regulamentado sempre no início de dezembro, deve ficar para 2021. As concessionárias já encaminharam as planilhas com os cálculos referentes aos pedidos de reajuste à Agência Reguladora de Serviços Públicos do Paraná (Agepar), que precisa aprová-los em reunião do conselho diretor. Porém, a última reunião do ano, que aconteceria no dia 22, foi antecipada para esta quinta-feira (17) e, a princípio, o pedido das concessionárias não consta na pauta da convocação.

LEIA MAIS – Abelha rainha vai ao shopping e provoca tensão no Água Verde, em Curitiba

De acordo com o contrato, o reajuste tarifário do pedágio das seis concessionárias do chamado Anel de Integração acontece no primeiro dia de dezembro. Como todos os anos, as empresas encaminharam em novembro os pedidos de reajuste, cujo percentual não foi divulgado. Procurada, a assessoria de comunicação da Agepar informou que “os reajustes dos pedágios devem ser aprovados em reunião do Conselho Diretor e, por enquanto, não estão em pauta”.

Na última reunião do conselho, realizada em novembro, a Agepar decidiu suspender por 60 dias os reajustes das tarifas de pedágio de três concessionárias: Econorte, Rodonorte e Viapar. Foram observados erros nos índices de depreciação utilizados para o reajuste e na aplicação de degrau tarifário de pista dupla antes mesmo de as concessionárias concluírem as obras de duplicação. Com isso, os conselheiros entenderam que, como há indícios de que reajustes anteriores foram concedidos erroneamente, não seria possível autorizar um novo reajuste.

LEIA TAMBÉM – Greca formaliza acordo para compra da Coronavac, diz governador de São Paulo

O último reajuste, concedido em dezembro do ano passado, foi de pouco mais de 3% para cinco concessionárias: Econorte, Viapar, Ecovia, Ecocataratas e Caminhos do Paraná. Já a Rodonorte teve um reajuste médio de 2,92%.