Os médicos pediatras do Paraná podem se descredenciar dos planos de saúde já a partir do final da semana que vem. Na semana passada, a Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP) enviou uma carta às operadoras reivindicando que os valores dos honorários médicos a serem pagos aos profissionais devem ser de, no mínimo, R$ 80. Segundo a SPP, hoje os planos pagam de R$ 15 a R$ 42 as consultas.

“Estamos pagando para trabalhar”, reclama um dos diretores da SPP, Gilberto Pascolat. Segundo ele, a carta também foi enviada à Associação Médica do Paraná (AMP) e ao Conselho Regional de Medicina (CRM). “Sabemos que os planos de saúde tiveram reajustes de 100% nos últimos seis anos, e as consultas não tiveram nada de aumento”, informou.

Por conta disso, segundo Pascolat cerca de 80% dos pediatras do Paraná já não atendem mais por planos de saúde. Isso até mesmo reflete no tempo para marcar uma consulta com esse profissional, que pode chegar hoje a até três meses.

Pascolat afirma que os médicos vão aguardar a posição dos planos até o final da semana que vem. “Se eles não atenderem nossa reivindicação ou se fizerem uma proposta que desagrade, todos os médicos vão se descredenciar”, avisou.

A SPP também lembra que cada vez menos formandos de Medicina optam por seguir carreira na Pediatria. Um trecho da carta diz que “uma análise aprofundada desse fato trouxe a constatação de que o motivo principal da desistência está nas precárias perspectivas econômicas dessa dedicação à infantoadolescência”.

Em função do feriado, ninguém ligado aos planos de saúde foi encontrado para dar uma posição sobre o assunto. Ao todo, cerca de 800 médicos pediatras são ligados à APP.