Espécies de peixes recolhidas por ribeirinhos no Rio Tibagi próximo ao Salto dos Alemães, no município de Ortigueira, norte do Paraná, apresentaram sinais de contaminação por metais pesados.

Os peixes foram encaminhados ao Departamento de Biologia Animal e Vegetal da Universidade Estadual de Londrina (UEL) no mês passado e análises constataram que a espécie corimbatá, por exemplo, apresentava no fígado concentrações de cádmio, cobre e mercúrio acima das máximas permitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para contaminantes inorgânicos em alimentos.

Tibagi II

O trecho de coleta dos peixes fica perto de onde a água das bocas de minas (áreas de mineração desativadas) é drenada para o Rio Tibagi. Amostras de água desses locais foram encaminhadas a pesquisadores da UEL para detecção de metais pesados.

Já o relatório resultante da análise dos peixes foi encaminhado aos ministérios públicos Estadual e Federal. O documento pede que sejam tomadas providências, uma vez que, segundo os pesquisadores, os resultados reforçam a preocupação quanto aos problemas que podem vir a ocorrer tanto para a biodiversidade do rio como para a população da região de Londrina, abastecida com água do Tibagi.