Comerciantes da rodoferroviária ameaçam brigar na Justiça para poder continuar com suas atividades no local. Na semana passada, os 39 permissionários foram notificados pela Urbs, informando que terão até o dia 30 deste mês para desocupar o espaço. Em reunião ontem à tarde, a situação seguiu indefinida, mas as duas partes se mostraram abertas ao diálogo. A Associação dos Permissionários do Comércio da Rodoferroviária solicitou a participação do Ministério Público nas discussões. Os novos encontros dependem da disponibilidade do órgão.

O advogado da entidade, Elton Baiocco, disse que os permissionários estão tentando resolver o impasse na Urbs por meio do diálogo, mas confirmou que se não houver acordo, o caso vai acabar na Justiça. “Desde o começo desse processo, tentamos resolver o assunto na base da conversa. Mas até agora não tivemos sucesso. Então estamos estudando levar esse assunto para o âmbito judicial para buscar nossos direitos”, afirma.

Ainda segundo Baiocco, a associação quer oferecer acordo no qual os permissionários possam permanecer por mais três anos, que é o prazo de cessão do terreno da rodoferroviária da União para a prefeitura de Curitiba. “É o meio termo que estamos tentando buscar. Esse é o prazo onde os lojistas terão tempo para se preparar para a licitação e reaver os investimentos feitos em seus estabelecimentos”, argumenta.

Conversações

Em nota, a Urbs informa que considera natural que os permissionários – como qualquer cidadão ou segmento da sociedade – levem a questão à Justiça e reafirma que o objetivo é cumprir a lei que determina licitação para ocupação dos espaços. A Urbs continua as conversações com os permissionários e lembra que eles poderão participar da licitação como qualquer outro interessado.