Integrantes da Defesa Civil de Paranaguá realizaram, na tarde de ontem, a entrega de 444 cestas básicas para pescadores da baía de Paranaguá, no litoral do Estado.

O auxílio está sendo oferecido às famílias dos pescadores prejudicados na última semana pela restrição do consumo de peixe proveniente da baía, que valia até quinta-feira passada.

A orientação foi dada pela prefeitura por causa da morte desconhecida de grande quantidade de sardinhas xingó no dia 30 passado. Oito localidades marítimas de Paranaguá receberam as cestas básicas.

Amparo, a mais atingida, teve maior concentração de entrega. De acordo com a prefeitura de Paranaguá, poderá sair hoje o laudo preliminar que apontará informações mais precisas sobre a causa da morte dos peixes. Até agora, foram levantadas quatro hipóteses: doenças, toxinas em microalgas, vazamento de produtos químicos ou descarte de navio pesqueiro.

Casos

Para o professor Antônio Ostrensky, coordenador do Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais (GIA), da UFPR, vários casos de mortandade de peixes são registrados no litoral.

O problema está no procedimento adotado para elucidação da causa e evitar novas mortes. “Quando uma situação dessa acontece, deve-se agir rapidamente. Depois fica difícil descobrir a causa”, ressalta.

Ele lembra que apenas no Paraná, nos últimos quatro anos, vários casos de mortandade de peixes ocorreram. “Tivemos, em 2007, com bagres. Em 2010, em Guaratuba e no lago de Itaipu, que também atingiu bagres”, relata.