Trocar o botijão de gás ou abastecer o carro com GLP pode ficar ainda mais difícil nos próximos dias. Greve nacional dos petroleiros, com início marcado para hoje, pode agravar a falta de gás que atinge o Paraná e mais seis estados. Os trabalhadores da Petrobras protestam contra o primeiro leilão de áreas de exploração na camada pré-sal.

Nos últimos dias, têm sido registrados problemas de abastecimento de GLP (gás liquefeito de petróleo) no Paraná, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraná e Pernambuco. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o problema acontece porque a demanda do mercado tem sido maior que a importação.

Segundo o presidente do Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro-PR/SC), Silvaney Bernardi, a paralisação que começa hoje deve agravar a situação. “Como a greve é por tempo indeterminado, é difícil avaliar as consequências. Mas o impacto maior será no GLP. Álcool, diesel e gasolina têm estoques maiores”, afirma.

No Paraná, a greve deve afetar as atividades da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária; da Usina do Xisto (SIX), em São Mateus do Sul, e do Terminal Aquaviário da Transpetro em Paranaguá (Tepar).

Leilão

O principal motivo da greve é o leilão do campo de Libra, marcado para segunda- feira. . Hoje haverá marchas e mobilizações em vários estados. Em Curitiba será às 16h30, na Boca Maldita. A categoria também pede aumento salarial de 20,32%.