Piraquara, a 14 quilômetros do centro de Curitiba, lança hoje sua Agenda 21. O documento especifica as ações que devem ser postas em prática para preservar o ambiente e melhorar a qualidade de vida da população local.

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Turismo, João Boaventura Ferreira Filho, alguns projetos já estão em andamento desde o início do ano 2001. Uma das prioridades do município é a preservação das áreas de mananciais. Para isso, locais de ocupação humana irregulares estão sendo controlados e a piscicultura está sendo incentivada. “Piraquara tem 277 quilômetros quadrados”, conta. “Desses, 90% são áreas de preservação de mananciais.”

Com três represas (Carvalho, Piraquara 1 e Iraí), o município é responsável por 77% da captação de água para a Região Metropolitana de Curitiba. Segundo Boaventura, a piscicultura é uma ótima forma de se incentivar a preservação dos mananciais. “É uma atividade ecologicamente correta e que aumenta a renda da população”, garante.

Um total de 303 piscicultores estão em atividade no município. Eles recebem assistência técnica gratuita constante e muitos já conseguem perceber mudanças. É o caso do dono do pesque-pague Leo Grando, Leoclides Grando. “Nos últimos dias, foram feitas obras de captação de água para abastecer os tanques de minha propriedade”, conta. “Pretendo plantar novas árvores e aumentar a produção de peixe.” Com essas medidas, Leoclides espera que, em breve, poderá receber mais visitantes e ter mais lucro.

A preservação da Mata Atlântica é outro ponto considerado essencial na Agenda. “Piraquara tem uma área de Mata Atlântica 100% preservada”, revela o secretário. “A idéia é criar uma consciência ecológica na população, para que nada seja destruído.” Uma das formas de se fazer isso é pelo desenvolvimento do ecoturismo.

Também estão previstas ações nas áreas de saúde, educação, agricultura, promoção social, emprego, entre outras. Com 45.487 habitantes, Piraquara é o segundo município do Paraná em taxa de crescimento populacional.

Agenda 21

A primeira grande conferência mundial sobre ambiente aconteceu em 1972, em Estocolmo, na Suécia. Foram discutidos os perigos da poluição química e a explosão demográfica.

Em 1992, no Rio, aconteceu a 2.ª Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente e Desenvolvimento. Dela, resultaram planos de ação para reverter questões críticas de poluição, esgotamento dos recursos naturais, explosão demográfica e crescimento da pobreza.Reunidos, os planos foram chamados de Agenda 21, que nada mais é que uma lista de itens a fazer para que, no século XXI, o homem habite um mundo melhor. O lema do documento é de que, para melhor a situação do planeta, as pessoas devem pensar globalmente, mas agir localmente.