Baralho é o que não falta no Clube Esportivo Estrela do Norte, na Vila Nossa Senhora da Luz. O responsável pelo local, o policial militar aposentado Daniel Pacheco dos Santos, 72, aguarda a entrega de uma encomenda com mais de 380 jogos. Tudo isso para entreter os frequentadores do clube, que já apostou no futebol e na realização de bailes, mas agora se dedica apenas às cartas.

Logo na entrada a pintura na fachada avisa que a mesa funciona todos os dias, inclusive nos feriados, e que o clube ainda oferece um agrado aos jogadores: lanche e jantar, servido às 19h. O grupo se reúne desde 1987, composto pela maioria de aposentados que não abrem mão da caxeta ou da tranca, e foi fundado para regularizar as grandes reuniões de moradores da vila que se juntavam para o futebol e para o carteado.

Sem apostas em dinheiro, o objetivo é apenas confraternizar. “É um passatempo, não tem decisão de nada aqui. É só pra não ficar triste em casa”, diz Pacheco, como é conhecido. Também não é cobrada nenhuma mensalidade. Homens e mulheres, independente da idade, podem jogar.

Não são muitos jogadores que frequentam o clube, mas Pacheco conta que sempre faz encomendas grandes. Isso porque muitos conjuntos de cartas são doados aos integrantes que também gostam de treinar em casa. Afinal, como ele diz, o ganho que tem não é financeiro, mas para sua saúde. “Esse é meu esporte, exercito as mãos e a mente. É bom para todas as pessoas, principalmente as de idade”, recomenda.