A Polícia Civil do Paraná prendeu um homem, de 36 anos, que estava foragido da justiça, ligado a uma das maiores organizações criminosas de roubos a instituições, bancos e carros-fortes do país. O indivíduo foi capturado em Cotia, no estado de São Paulo (SP), nesta quarta-feira (28). 

A polícia civil chegou até o suspeito após investigações de alta complexidade, que se iniciaram após uma operação ocorrida no dia 4 de novembro de 2020, em Campina Grande do Sul. Na ocasião, os policiais civis apreenderam grande quantidade de armas, munições, explosivos e roupas táticas usadas em roubos, além de prenderem duas mulheres.

LEIA TAMBÉM:

>> Radar flagra veículo a 212 km/hora em estrada do Paraná. Abusos não param por aí!

>> Linha Verde pode virar alvo de CPI na Assembleia após mais de 15 anos de obras

Crimes

O indivíduo é suspeito de participar de ações criminosas como o roubo na empresa Prosegur, no Paraguai, em 2017, onde cerca de U$ 40 milhões foram subtraídos da instituição. 

Além disso, ele participou de um dos maiores roubos da história de Santa Catarina (SC), ocorrido em 2019. Na data do crime, o suspeito e outros indivíduos subtraíram R$ 9,8 milhões do aeroporto Quero-Quero, em Blumenau.  

Em 2020, o homem ainda participou de dois roubos a bancos. Um deles foi em Ourinhos (SP), no mês de maio, onde seis pessoas foram feitas reféns em uma ação que durou cerca de três horas. 

O outro crime ocorreu em Criciúma (SC), em novembro. Na ocasião, os suspeitos explodiram uma atearam fogo em um caminhão, utilizaram reféns para bloquear ruas da cidade e explodiram uma agência bancária, levando aproximadamente R$ 80 milhões.  

As ações foram consideradas cenários de guerra, já que os indivíduos planejavam o crime e utilizavam armamento como fuzis.