O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Foz do Iguaçu cumpre na manhã desta terça-feira (30) 15 mandados de prisão preventiva contra policiais militares que atuavam na região da fronteira com o Paraguai. A ação é resultado da Operação Desviados II, que investiga a prática de organização criminosa, peculato, prevaricação e falsidade ideológica por parte dos policiais.

+Leia mais! Bandeira Vermelha, Laranja ou Amarela? Curitiba define nesta quarta-feira nova restrição contra a pandemia

De acordo com as investigações, os policiais militares faziam abordagens em veículos carregados de mercadorias compradas no Paraguai, mas que não tinham passado pelo processo de regularização junto à fiscalização aduaneira. Utilizando-se do cargo público, os policiais então se apropriavam de forma indevida dos produtos contrabandeados para liberar os infratores.

Outra frente das investigações apura o preenchimento de boletins de ocorrência com dados falsos como forma de legitimar as abordagens. Dessa forma, apontam as investigações, os policiais facilitariam o desvio das mercadorias. Segundo o Ministério Público, todos os policiais investigados já trabalharam na 2ª Companhia da PM de Medianeira.

+Viu essa? Adesivo em moto de motoboy vítima de acidente impressiona. “Não deixe minha mãe chorar por causa de R$ 3”

Os mandados foram cumpridos em São Miguel do Iguaçu, Missal, Foz do Iguaçu e Medianeira, no Paraná, e na cidade de Cláudia, no Mato Grosso. Além dos mandados de prisão também foram cumpridos outros 15 mandados de suspensão de exercício das funções públicas e 23 de busca e apreensão. Foram recolhidos distintivos, armas, coletes à prova de balas e documentos funcionais. Equipamentos eletrônicos, celulares e dinheiro também foram apreendidos durante a ação.

+Friozão!! Fotos de Guarapuava congelada são de encher os olhos! Cidade foi a mais fria do Paraná!