Um vídeo feito por câmeras de segurança e divulgado nas redes sociais choca quem o vê e até quem apenas fica sabendo dele. Nas imagens, feitas na madrugada de domingo (10), um policial aparece atirando em uma cadela que estava com oito filhotes em uma marquise da Avenida Sete de Setembro, no Batel, em Curitiba.

Segundo a descrição do vídeo, a confusão começou no momento em que policiais militares teriam ido abordar moradores de rua. Um dos policiais teria empurrado um dos moradores e a cadela, que cuidava dos filhotes, se assusta.

Na tentativa de proteger os filhotes, “Polaca”, como era chamada pelos moradores de rua, age por instinto e vai para cima dos policiais. Ela não chega a morder nenhum dos PMs, mas sem que houvesse tempo, o policial atira duas vezes contra o animal.

Polaca foi atendida, mas não resistiu.

Ao ser baleada, a cadela sai correndo e os policiais vão embora sem sequer se preocuparem com o bicho ferido. A cadela foi socorrida por um grupo de protetores, que também ajudavam os moradores de rua, mas ela não resistiu.

“Polaca” foi levada para uma clínica e chegou a ser atendida, mas não resistiu. Os filhotes sobreviveram e, pelas fotos divulgadas pelas pessoas que se revoltaram, ainda mamavam. Eles foram recolhidos por duas protetoras, que procuram agora uma ajuda de alguém que tenha uma cadela que possa ajudar com leite. A Rede de Proteção Animal deve providenciar as vacinas, ração, castração e tudo o que for necessário para que eles sejam colocados para adoção.

Nas redes sociais, o vídeo gerou muita repercussão. A ação do policial gerou revolta inclusive em colegas de farda, que se manifestaram contra o ato. 

>>Assista ao vídeo com o momento da abordagem!

Denúncia

De acordo com a voluntária Fabiane Rosa é importante que quem presenciou e até mesmo ajudou no socorro da cadela fala uma denúncia formal à Polícia Civil. Caso essa denúncia não seja feita, o grupo deve providenciar.

Nas redes sociais, Paulo Colnaghi, coordenador da Rede de Proteção Animal de Curitiba, vinculado à prefeitura, disse que o órgão vai ao comando da PM e ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) pedir providências. “Mas é importante deixar claro que a PM é de responsabilidade do governo do Estado e não da prefeitura da capital”.

Conduta sob investigação

A Polícia Militar do Paraná, através da assessoria de imprensa, se manifestou em nota dizendo não compactuar com a violência contra animais. A PM considera, em primeira análise, censurável a conduta do policial que atirou contra o cão.

A corporação informa foi aberta uma sindicância para apurar eventuais responsabilidades em relação ao fato. A nota afirma ainda que, em tese, segundo a sua versão, o PM teria sido atacado pelo cão no momento em que cumpria com a sua missão.

A Polícia Miliar informou também que mantem cães e cavalos e que estes bichos são cuidados com zelo e respeito, sempre acompanhados de veterinários. “A PMPR acolhe as pessoas que trabalham pela proteção dos animais e não se pauta por qualquer tipo de violência”, finaliza a nota. 

Polaca estava com oito filhotes e não resistiu aos disparos.

Confira o post abaixo!

Na madrugada do dia 10/04 uma viatura aborda um grupo de moradores de rua na Av. Sete de Setembro, próximo ao shopping Curitiba. A confusão começa quando o policial despreparado, abusa de sua autoridade e empurra um dos moradores sem motivos. Uma ação que teve início da PM onde deveria servir e proteger estão mais para autoritarismo e poder. A cadela que estava quieta cuidando de seus filhotes e ao perceber a reação do guarda, agiu por instinto para defender seu dono. A reação do imbecil armado não poderia ser outra, sem pensar nas consequências em atingir outro motador ou ate mesmo no animal, sacou sua arma e deu dois disparos atingindo a cadela que correu claudicando. Sem qualquer apreensão e ocorrência registrada a viatura foi embora deixando a cadela agonizando. Estamos agora correndo atrás de ajuda para a cadela e os filhotes. #pmpr #prefeituradecuritiba #pmc

Publicado por Wylson Arruda em Domingo, 10 de abril de 2016