Curitiba começa a elaborar sua Política Municipal de Educação no Trânsito a partir de segunda-feira (19), com o início de uma série de consultas públicas sobre o tema nas regionais da cidade. Os eventos serão realizados pela Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), com apoio da Secretaria Municipal de Governo, e se estenderão até o dia 29 de agosto.

Nas reuniões, a população poderá dar sugestões para ajudar na estruturação da política municipal, que será transformada em breve em projeto de lei, determinando diretrizes gerais e específicas de educação para o trânsito na capital paranaense. “Instituir políticas públicas para o trânsito é um avanço decisivo para Curitiba, uma aposta em um novo comportamento e atitude no trânsito da cidade. Através de uma política municipal, poderemos garantir em lei os recursos financeiros para a área de educação no trânsito e criar, de forma definitiva, a cultura da discussão do tema em toda a sociedade”, afirma Luiza Simonelli, secretária municipal de Trânsito.

A Política Municipal de Educação para o Trânsito irá priorizar o trânsito seguro, a mobilidade urbana sustentável e acessibilidade. O foco principal será o desenvolvimento de uma cidadania mais efetiva no trânsito da cidade, proporcionando os direitos fundamentais de mobilidade e deveres essenciais para garantir a integridade de seus participantes.

“Esta política municipal é um marco para Curitiba. Como projeto de lei, ela é inédita no Brasil, não existe nada semelhante em educação para o trânsito em outros municípios do país. São diretrizes para os gestores da educação no trânsito para daqui 30, 40, 50 anos. É como se fosse um plano diretor na área de educação no trânsito”, comenta Cassiano Novo, diretor de educação da Setran.

As consultas públicas serão realizadas sempre entre 19h e 21 horas. Estarão presentes diretores, engenheiros e agentes da Setran. Os participantes deverão colocar suas sugestões em um formulário disponível na regional. Durante o evento, quem desejar também terá a oportunidade de expor sua sugestão a todo público presente.

Os temas focados podem ser: pedestres, ciclistas, condutores de automóveis e motocicletas, transporte (coletivo, ferroviário, de passageiros em veículos), profissionais envolvidos no trânsito, escolas (educação infantil, ensinos fundamental, médio e superior), comunidade geral, campanhas educativas, cursos de trânsito, além de outras situações que possam envolver o trânsito seguro, a mobilidade urbana sustentável e a acessibilidade.